PUBLICIDADE
Notícias

Matemáticos usam Copa para provar 'paradoxo do aniversário'

Ao todo, 16 das 32 equipes que participam na fase final do Mundial do Brasil contam com jogadores que compartilham a mesma data de aniversário

16:00 | 17/06/2014
Enquanto muitos numerólogos tentam usar de suas habilidades para prever quem vencerá o Mundial 2014, alguns matemáticos aproveitam a realização da Copa no Brasil para tentar provar a estatística das datas de nascimento das pessoas, o chamado "paradoxo do aniversário". E, para provar este conceito, usaram os jogadores que disputam o torneio da Fifa.

Apesar de poder parecer estranho, 16 das 32 equipes que participam na fase final do Mundial do Brasil contam com jogadores que compartilham a mesma data de aniversário. Um dado que não surpreende os matemáticos, já que as estatísticas demonstram há tempos que há algo além dos 50% - 50,7% para ser exato - de possibilidades de que, em qualquer grupo de 23 pessoas, duas delas comemorem seu aniversário no mesmo dia.

E, apesar de parecer algo que desafia a lógica, o "paradoxo do aniversário" existe, garantem os matemáticos. E o Mundial, com suas 32 equipes de 23 jogadores cada, confirma isso. "Pode parecer improvável", declarou o matemático húngaro Peter Frankl, que trabalha no Japão. "A matemática lida com o contra-intuitivo o tempo todo", acrescenta. Dessa forma, a equipe do Brasil tem dois jogadores nascidos em 25 de julho: Hulk e Paulinho, que poderão, caso conquistem o título mundial, comemorar alegremente seu natalício, ou afogar suas mágoas juntos tomando caipirinha se não conseguirem o ambicionado hexa.

Mais difícil ainda. Se a metade das equipes em disputa tem dois jogadores que compartilhem o aniversário, cinco seleções em disputa contam com esta coincidência em dobro, ou seja, dois pares de aniversariantes em cada uma das seguintes equipes: Argentina, França, Coreia do Sul, Suíça e Irã. "É difícil convencer as pessoas, mas é quase sempre exato", explicou Frankl. "Com 32 equipes e 23 jogadores cada uma, 50% são, inclusive, menos que o resultado esperado, matematicamente falando", afirmou Peter Frankl.

Alguns celebrarão seu aniversário - provavelmente com moderação - durante o Mundial: os bósnios Asmir Begovic e Sead Kolasinac festejam na próxima sexta, véspera de uma partida decisiva contra a Nigéria, depois de sua derrota por 2 a 1 para a Argentina. Os sul-coreanos Kwak Tae-hwi e Son Heung-min poderão comer seu bolo com toda vontade no dia 8 de julho, a não ser que sua equipe não alcance as semifinais. Se suas equipes chegarem a se cruzar nas oitavas de final, em 30 de junho, o alemão Benedikt Howedes e o argelino Saphir Taider poderão felicitar-se mutuamente porque nasceram no mesmo dia, 29 de fevereiro.

Para calar os céticos, os numerólogos da bola foram ainda mais longe e acrescentaram que nas equipes da África do Sul, 31 das 64 tinham dois jogadores que comemoram aniversário no mesmo dia, sempre perto dos 50%. "Às vezes, na matemática, não é vale a pena tentar explicar certas coisas a sua esposa, filhos ou vizihos", brincou Frankl. "Mas provei o 'paradoxo do aniversário' umas 20 vezes em conferências e só falhei uma vez", concluiu.

AFP

TAGS