PUBLICIDADE
Notícias

Papa convoca a lutar contra comércio de armas e migração forçada

11:21 | 15/05/2014
NULL
NULL
O papa Francisco convocou nesta quinta-feira a comunidade internacional a alcançar um compromisso mundial contra o comércio de armas e a migração forçada.

"Todo o mundo fala de paz, todos declaram esta pretensão, mas infelizmente a proliferação de armas de qualquer tipo conduz à direção oposta", advertiu o pontífice ao receber no Vaticano sete novos embaixadores credenciados na Santa Sé.

"O comércio de armas tem o efeito de complicar e evitar a resolução de conflitos, quando se desenvolve e implementa em grande parte fora da legalidade", acrescentou o Papa.

"Podemos unir nossas vozes", clamou o papa argentino à comunidade internacional, para que seja aberta "uma nova era no compromisso" contra o crescimento dos armamentos e sua redução, disse.

Diante dos novos representantes diplomáticos de Suíça, Libéria, Etiópia, Sudão, Jamaica, África do Sul e Índia, o Papa também mencionou outro desafio de nosso tempo, o da migração forçada, que também coloca em risco a paz mundial.

As histórias destes imigrantes "nos fazem chorar e nos envergonhar", afirmou Francisco, ao lembrar as "torturas, os abusos de todo tipo que sofrem, para morrer depois no deserto ou no fundo do mar", disse.

O chefe da Igreja católica, filho de italianos que emigraram para a Argentina, pediu recentemente que as forças se unam para prevenir "as tragédias vergonhosas" dos imigrantes que perdem a vida no Mediterrâneo, depois dos últimos naufrágios nos quais dezenas de pessoas que tentavam chegar à Itália faleceram.

"Chegou o momento de encarar o problema com uma visão política séria e responsável em todos os níveis: mundial, continental, por grandes regiões, entre Estados até chegar ao nacional e local", insistiu.
AFP

TAGS