PUBLICIDADE
Notícias

Dez mortos em naufrágio na costa líbia

O acidente aconteceu na manhã desta segunda-feira, 12

11:32 | 12/05/2014

Pelo menos 10 pessoas morreram nesta segunda-feira no naufrágio de uma embarcação lotada de imigrantes ilegais ao longo da costa líbia, informou a imprensa italiana.


O barco foi avistado no início desta tarde por uma embarcação da guarda-costeira que patrulhava o Canal da Sicília.


Cerca de 200 imigrantes foram resgatados com vida por barcos que navegavam na região até o momento.


De acordo com a rede de televisão SkyTV24, o naufrágio aconteceu 100 km ao sul da ilha de Lampedusa, preto da costa da Líbia.


Participaram nas operações de resgate embarcações militares italianas da operação "Mare Nostrum" além de barcos comerciais que transitavam na área.


Este novo acidente acontece seis meses depois do dramático naufrágio de duas embarcações em Lampedusa, que terminou com quase 400 mortos.
A Marinha italiana indicou em um comunicado que enviou uma fragata "Grecale" e o barco patrulha "Sirio", além de dois helicópteros para participar do resgate.


Segundo o jornal La Repubblica, o alerta foi enviado à Guarda Costeira italiana por um rebocador que trabalha nas plataformas de petróleo da zona.


Um porta-voz da Marinha líbia, o coronel Ayub Kasem, indicou à AFP que as autoridades de seu país foram informadas do naufrágio, mas que não podiam participar da operação de socorro.


"Não temos meios para ajudar. A tragédia aconteceu em águas internacionais, longe da costa", afirmou.


Com mais de 4.000 km de fronteiras terrestres com seis Estados e mais de 1.700 km de fronteiras marítimas, a Líbia é um país de trânsito para as costas europeias para centenas de milhares de imigrantes, em sua maioria africanos.


Pelo menos 36 imigrantes morreram e outros 42 estão desaparecidos após o naufrágio de uma embarcação improvisada na terça-feira ao longo da costa da Líbia.


Segundo o testemunho de sobreviventes, o barco transportava 130 imigrantes de Mali, Senegal, Gâmbia, Camarões, Burkina Faso e de outros países africanos.


O ministro interino líbio do Interior, Saleh Mazek, ameaçou "facilitar" o trânsito de imigrantes ilegais para a Europa, caso a União Europeia não ajude seu país a deter este fenômeno.


Desde o início do ano, cerca de 22.000 imigrantes e refugiados desembarcaram nas costas italianas, seis vezes mais  do que no mesmo período de 2013.


Organizações humanitárias calculam que cerca de 20.000 pessoas se afogaram no Mar Mediterrâneo tentando entrar na Europa nos últimos 20 anos.

AFP

TAGS