PUBLICIDADE
Notícias

Universidade alemã quer dar título de doutor honoris causa a Snowden

14:39 | 10/04/2014
Faculdade de Filosofia da Universidade de Rostock decidiu abrir os processos necessários para conceder o título ao ex-técnico da NSA, descrito como um ativista dos direitos civis. A Faculdade de Filosofia da Universidade de Rostock decidiu abrir os processos necessários para conceder o título de doutor honoris causa ao ex-consultor da Agência de Segurança Nacional (NSA) Edward Snowden. A decisão foi aprovada por uma grande maioria nesta quarta-feira (09/04), com 17 votos a favor, dois contra e duas abstenções. Primeiramente a proposta foi avaliada por um grêmio de sete pesquisadores internacionais de alto escalão, para conferir se as revelações e denúncias feitas por Snowden possuem relevância acadêmica e científica. Snowden foi classificado como um "esclarecedor", que sacrificou a própria existência civil para alertar sobre um grande inconveniente social. O título de doutor honraria um ativista dos direitos civis que se mobiliza em prol dos valores da Constituição americana e dos direitos humanos e invoca assim a tradição e os valores americanos, justifica a Universidade de Rostock, no leste da Alemanha. O decano Hans-Jürgen von Wensierski lembra que esta é a primeira vez que Snowden é honrado dessa maneira na Alemanha. Ao analisar o contexto da titulação, o professor Wolfgang Hoffmann-Riem ressaltou a importância das revelações do ex-funcionário da NSA. A universidade espera prestigiar a "coragem civil" de Snowden e sua "substancial contribuição para um novo discurso global sobre liberdade, democracia, cosmopolitismo e direitos do indivíduo". Por questões formais, o conselho universitário terá de aprovar novamente a decisão no mês de maio. Se o voto for positivo, será preciso então a aprovação do senado e do reitor da instituição. É possível que Snowden receba o título ainda neste semestre. Enquanto isso, a faculdade entrará em contato com ele para perguntar se concorda em receber o título. Snowden desencadeou o escândalo da NSA ao entregar documentos confidenciais a jornalistas. RCC/afp/dpa/afpd/epd

TAGS