PUBLICIDADE
Notícias

Opinião: Jornal alemão joga gasolina na fogueira da Ucrânia

13:37 | 16/04/2014
A campanha do "Bild" pela retirada de tanques soviéticos de um monumento em Berlim é contraprodutiva e exemplo de jornalismo irresponsável, opina Ingo Mannteufel, chefe da redação russa da DW. O jornal sensacionalista Bild, diário de maior circulação na Alemanha, lançou uma apelativa campanha de abaixo-assinado nesta terça-feira (15/04). Ele convoca seus leitores a apoiarem uma petição ao Bundestag (câmara baixa do Parlamento) para que sejam retirados os tanques russos no monumento do parque Tiergarten, em Berlim. O motivo seria a política de Moscou em relação à Ucrânia. Não se põe me dúvida que seja condenável a política do presidente Vladimir Putin a qual, após a anexação da Crimeia, na contramão do direito internacional, visa uma desestabilização ainda maior da Ucrânia. Com essa atitude revanchista, a Rússia não só rompe diversos acordos internacionais, nos quais reconheceu a soberania territorial da Ucrânia. Mais do que isso: a política externa agressiva de Putin coloca em questão todo o arcabouço de paz da Europa, construído a partir da década de 1970. Essa visão não é partilhada apenas pelo governo federal alemão, mas também por uma clara maioria dos políticos do país. Apesar disso, não é de se esperar que a conclamação do Bild encontre grande respaldo político. Pois está claro que, em seu efeito político, esse clamor só pode ser contraprodutivo. Além de não contribuir de forma alguma para a estabilização da situação na Ucrânia e para a solução política da crise, a iniciativa do maior jornal sensacionalista da Alemanha ainda coloca lenha na fogueira. Na Alemanha, a campanha alimenta velhos ressentimentos antirrussos; na Rússia, ela será um verdadeiro presente para a propaganda anti-ocidental do Kremlin. Afinal, está às portas o 9 de Maio, quando na Rússia mais uma vez se festejará o jubileu do fim da Segunda Guerra Mundial. E iniciativas prejudiciais e equivocadas como a do Bild serão instrumentalizadas com grande entusiasmo pela mídia estatal russa, com o fim de fortalecer ainda mais o mito do cerco da Rússia pelo Ocidente. Em vez de esclarecer os russos sobre as consequências perigosas também para eles da agressiva política revanchista de Putin, campanhas grosseiras assim confirmam as afirmativas do Kremlin sobre o supostamente tão hostil Ocidente. Assim o abaixo-assinado proposto pelo tabloide Bild é uma lamentável amostra de quão rapidamente podem se reavivar, também na Alemanha, ressentimentos que há muito se consideravam superados. E de como levianamente se pratica um jornalismo irresponsável em meio a umas das maiores crises das últimas décadas na Europa.

TAGS