PUBLICIDADE
Notícias

Navio australiano capta novos sinais no Oceano Índico

07:06 | 09/04/2014
Chefe da missão afirma que avião da Malaysia Airlines poderá ser encontrado nos próximos dias. Mas ainda não há confirmação de que sons são da caixa-preta do MH370. A embarcação australiana Ocean Shield detectou no Oceano Índico mais dois sinais sonoros, um na tarde desta terça-feira e o outro na madrugada de quarta (09/04, hora local da cidade australiana de Perth), que podem ser do avião da Malaysia Airlines desaparecido há um mês. O primeiro sinal durou 5 minutos e 32 segundos, e o segundo, 7 minutos. "Eu acredito que estamos buscando na área correta", diz o coordenador da missão, o australiano Angus Houston. Mas ainda é preciso localizar os destroços do Boeing 777 para afirmar com precisão de que se trata do voo MH370. Como a bateria da caixa-preta dura cerca de 30 dias, as equipes de busca correm contra o tempo. Sinais de duas horas e 20 minutos e de 13 minutos foram identificados no sábado. Os de ontem foram mais curtos, o que pode indicar que a vida útil da bateria está se esgotando. De acordo com Houston, uma análise dos sinais detectados no sábado chegou à conclusão de que eles eram distintos, claros e pulsavam de modo constante, indicando, assim, que eram provenientes de uma caixa-preta. "Estou agora confiante de que encontraremos a aeronave ou o que sobrou dela num futuro não muito distante, mas ainda não a encontramos, pois é um grande desafio", disse Houston. Captar o som novamente é essencial para reduzir a área de busca e possibilitar o envio de um submarino não tripulado para o mapeamento sonoro do perímetro. "É certamente um dispositivo humano que está emitindo os sinais", diz Mark Matthews, capitão da marinha americana. "Eu não tenho outra explicação para o que possa estar lá embaixo." A região de buscas está a 2.300 quilômetros da cidade de Perth, na costa ocidental australiana, e abrange uma área de 1.300 quilômetros quadrados. O voo MH370 despareceu no dia 8 de marco, com 239 pessoas a bordo, na rota entre Kuala Lumpur e Pequim. RCC/dpa/rtr/ape/afp/lusa

TAGS