PUBLICIDADE
Notícias

Naufrágio deixa centenas de desaparecidos na Coreia do Sul

09:01 | 16/04/2014
Ao menos duas pessoas morreram. Embarcação que partiu do norte do país tinha como destino a ilha Jeju. Mais de 450 passageiros estavam a bordo a maioria estudantes do ensino médio. Uma balsa turística que transportava 459 pessoas naufragou nesta quarta-feira (16/04) na costa da Coreia do Sul. Ao menos 300 pessoas estão desaparecidas e 50 ficaram feridas. Os passageiros eram, na maioria, estudantes do ensino médio, que passariam quatro dias na ilha turística de Jeju, a maior do país. Cerca de 160 guardas costeiros e mergulhadores participam da operação de resgate, que conta com mais de 80 navios e 18 helicópteros. As equipes de busca se concentram no interior da embarcação, a cerca de 470 km da capital Seul. O navio tinha partido na noite desta terça-feira da cidade de Incheon, no norte do país, para uma viagem noturna de 14 horas. Por volta das 9h (horário local), a três horas do destino final, a balsa enviou uma notificação de emergência, de acordo com o Ministério de Segurança e Administração Pública sul-coreano. As autoridades disseram que ainda não sabem o motivo do naufrágio e que estão concentradas nas buscas. Com o alto número de desaparecidos, cresce o temor de que a quantidade de mortes aumente drasticamente e que o acidente se torne uma das maiores tragédias marítimas da Coreia do Sul. O desastre mais recente ocorreu em 1993, quando 292 pessoas morreram. Mais de 150 sobreviventes resgatados Após ser resgatado, o estudante Lim Hyung-min disse que ele e outros colegas pularam no oceano vestindo coletes salva-vidas e nadaram até um barco de resgate. "À medida que a balsa tremia e se inclinava, nós tropeçávamos e esbarrávamos um no outro", disse Hyung-min ressaltando que algumas pessoas estavam sangrando. "A água estava muito fria. Eu apenas me apressava pensando que queria viver". Segundo autoridades, a temperatura da água em 12 graus Celsius pode causar hipotermia após duas horas de exposição. Mais de 150 sobreviventes foram levados para a ilha vizinha Jindo, onde são recebidos por equipes médicas em um ginásio. De acordo com o vice-ministro de Segurança e Administração Pública, 30 tripulantes, 15 professores, 325 estudantes e 89 outros passageiros estavam a bordo. Duas mortes foram confirmadas: de uma tripulante e de um homem que possivelmente era um estudante. O navio de 146 metros de comprimento faz a viagem entre Incheon e Jeju duas vezes por semana e foi construído no Japão em 1994. KG/ap/afp/rtr

TAGS