PUBLICIDADE
Notícias

Muçulmanos deixam capital da República Centro-Africana

19:20 | 27/04/2014
Cerca de 1.300 muçulmanos deixaram neste domingo a volátil capital da República Centro-Africana, depois de meses presos em um acampamento cercado por cristãos. Eles foram escoltados por forças de paz altamente armadas. Enquanto os últimos 22 caminhões recolhiam os muçulmanos que ainda estavam nos arredores da cidade de Bangui, milhares de cristãos tomaram as ruas do bairro muçulmano, arrancando as portas e vidraças da mesquita local e gritando em tom de zombaria 'Allah Akbar', expressão em árabe que significa "Deus é grande".

Forças de paz assistiram em silêncio os cristãos depredando casas e invadindo lojas muçulmanas. Vários deles espancaram um gato encontrado na casa do imã. "Estou procurando por muçulmanos, para mata todos eles", afirmou Tcholongba Gauthier, de apenas de 18 anos de idade, com um arco e flecha em uma mão e uma lança na outra. "Não está na Bíblia, mas eles mataram minha mãe e meu pai."

Por décadas, a ex-colônia francesa parecia um modelo de tolerância religiosa na África, um continente que abriga cerca de 400 milhões de muçulmanos e 500 milhões de cristãos. Mas a situação se deteriorou na República Centro-Africana. Primeiro, rebeldes muçulmanos tomaram a capital no ano passado, após uma série de estupros e assassinatos. Depois, forças de paz da França chegaram ao país em dezembro, o que encorajou os cristãos a fazer justiça com as próprias mãos.

Atualmente, a República Centro-Africana é palco de violência gratuita. Muçulmanos que fugiram da capital para um acampamento tiveram os vilarejos incendiados e seus entes queridos assassinados. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS