PUBLICIDADE
Notícias

Líbano: Parlamento se reunirá para eleger presidente

13:10 | 16/04/2014
O presidente do Parlamento do Líbano propôs nesta quarta-feira uma sessão para eleger um novo presidente no dia 23 de abril, dando início ao que se espera que seja uma longa e controversa votação para o principal posto do governo. O encontro marcado para a próxima quarta-feira deve ser o primeiro de várias tentativas de eleger um presidente antes que o mandato de seis anos do atual líder, Michel Suleiman, expire, em 25 de maio.

O novo presidente do país enfrentará grandes desafios de segurança e econômicos, a maioria relacionados com o transbordamento da guerra civil da vizinha Síria. Os líderes do país estão profundamente divididos em linhas sectárias e ideológicas. A falta de acordo sobre um presidente de consenso pode tornar as coisas mais difíceis para o governo em um momento crucial de luta contra a violência sectária e fluxo de mais de um milhão de refugiados sírios.

De acordo com o sistema de partilha de poder sectário no Líbano, o presidente deve ser um cristão maronita, o primeiro-ministro um muçulmano sunita e o presidente do Parlamento um muçulmano xiita. Qualquer candidato deve obter pelo menos dois terços dos votos dos legisladores para se tornar presidente.

Suleiman, um ex-comandante do Exército, é considerado hostil ao partido xiita libanês Hezbollah, cujos combatentes estão lutando ao lado do presidente da Síria, Bashar Assad, contra os rebeldes. Suleiman pediu ao Hezbollah que retire os combatentes da Síria, o que provocou discussão entre ambos nas últimas semanas. Ele conta com a oposição do Hezbollah e seus aliados e já disse não tentará a reeleição. Samir Geagea, líder de um partido de direita anti-Hezbollah, é o único político a ter anunciado oficialmente sua candidatura. Mas tem poucas chances de garantir o apoio da maioria dos 128 membros do Parlamento.

Outros candidatos, incluindo o ex-comandante do Exército Michel Aoun, disseram que estão preparados para assumir o cargo se houver consenso em torno de suas candidaturas. O Parlamento tem até 25 de maio para eleger um novo presidente. Fonte: Associated Press.

TAGS