PUBLICIDADE
Notícias

Suspeito de crimes na C. do Marfim vai à Corte de Haia

17:15 | 27/03/2014
Um ex-líder de um grupo de jovens acusado de envolvimento em assassinatos, estupros e perseguição durante atos violentos após as eleições da Costa do Marfim em 2010 se declarou inocente nesta quinta-feira, ao aparecer pela primeira vez ante o Tribunal Penal Internacional (ICC, na sigla em inglês).

Charles Ble Goude parecia confiante, batendo com a mão na mesa, abanando e até mandando beijos a apoiadores no espaço destinado ao público na breve audiência, a primeira desde que autoridades marfinenses o entregaram para a corte em Haia na semana passada. Goude, agora com 42 anos, não era obrigado a se manifestar hoje sobre as quatro acusações de crimes contra a humanidade, mas disse à juíza Silvia Fernandez: "Sou acusado injustamente".

Episódios de violência após a controversa eleição de 2010 na Costa do Marfim causaram 3 mil mortes. Grupos de defesa dos direitos humanos dizem que o grupo de jovens de Ble Goude - os Jovens Patriotas - desempenhou um papel decisivo na criação de um clima de terror durante a violência pós-eleitoral, erguendo barricadas e postos de controle onde muitos cidadãos da África Ocidental foram mortos. O grupo colocava pneus em volta do pescoço das vítimas e ateava fogo.

A corte apontou o dia 18 de agosto como data de uma audiência na qual a juíza decidirá se as evidências reunidas por promotores são suficientes para a realização de um julgamento. Fonte: Associated Press.

TAGS