PUBLICIDADE
Notícias

Satélite francês indica que Boeing desaparecido está na área de buscas

15:31 | 23/03/2014
Franceses dizem ter localizado possíveis destroços de avião da Malaysia Airlines na mesma região indicada por satélites australianos e chineses. Mau tempo no sul do Oceano Índico dificulta buscas pelo voo MH370. Imagens captadas por um satélite francês e divulgadas neste domingo (23/03) deram mais sinais de que os destroços do Boeing 777-200 da Malaysia Airlines podem estar no sul do Oceano Índico, a cerca de 2.500 quilômetros da costa da Austrália. O Ministério dos Transportes da Malásia já transmitiu a informação aos australianos, que lideram a operação de busca. Australianos e chineses já haviam publicado imagens similares, e a China havia enviado aviões, cujas tripulações avistaram restos sobre a superfície do mar. Contudo, neste domingo, o mau tempo voltou a dificultar as buscas, e não foi possível nem localizar novamente os objetos nem confirmar se eles seriam parte da aeronave. "Esta manhã, a Malásia recebeu novas imagens de satélite de autoridades francesas, que mostram objetos potenciais nas imediações do corredor sul", informou o Ministério dos Transportes da Malásia por meio de uma nota. "A Malásia retransmitiu imediatamente as imagens para o centro de coordenação de buscas da Austrália." O comunicado não deu detalhes, como por exemplo, se os objetos estavam na mesma zona indicada pelos satélites australianos e chineses. Esta última pista chega quando a busca internacional do voo MH370 da Malaysia Airlines entra em sua terceira semana, sem ter a confirmação do rastro do Boeing 777-200, desaparecido com 239 pessoas a bordo. Busca internacional continua Neste domingo, uma força internacional retomou os trabalhos de busca em duas áreas a cerca de 2.500 quilômetros a sudoeste da cidade australiana de Perth. Com isso, espera-se encontrar o objeto indicado pelo satélite chinês e outros possíveis restos da aeronave vistos por um avião de busca no sábado, incluindo o que parecia ser uma palete de madeira e cintos de segurança. De acordo com a China, o objeto localizado pelo satélite tinha 22 metros de comprimento e 13 metros de largura e estava a cerca de 120 quilômetros dos destroços localizados pela Austrália na quinta-feira. Entretanto, não se sabe se as imagens divulgadas são dos mesmos objetos. Segundo o comandante William J. Marks, porta-voz da sétima frota dos EUA, o tempo no sul do Oceano Índico está muito mais claro neste domingo do que nos últimos dias, "o que permite um espectro eletrônico e visual completo da capacidade de busca". O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, afirmou serem cada vez maiores as esperanças de avanços na busca do avião por meio das imagens dos satélites chineses e australianos. "Há uma crescente esperança de que talvez estejamos no caminho de saber o que aconteceu." O voo MH370 da Malaysia Airlines partiu de Kuala Lumpur na madrugada de 8 de março, com previsão de chegar a Pequim em seis horas, mas desapareceu dos radares aproximadamente uma hora após a decolagem. Das 239 pessoas a bordo, cerca de dois terços são chineses. FC/rtr/dpa/ap

TAGS