PUBLICIDADE
Notícias

Cinco aviões avistam possíveis destroços do voo MH370

14:02 | 28/03/2014
Descoberta se dá após mudanças na área de buscas, motivadas por informações de que a velocidade do avião da Malaysia Airlines, desaparecido há 20 dias, era maior do que a calculada inicialmente. Após a mudança na região de busca pelo Boeing-777 da Malaysia Airlines, possíveis destroços do vôo MH370 foram avistados nesta sexta-feira (28/03) por cinco das dez aeronaves que estão procurando o avião. "Fotografias foram tiradas dos objetos e serão analisadas durante a noite", afirmou um porta-voz da Autoridade de Segurança Marítima Australiana (AMSA). Mas a confirmação de que esses objetos são realmente do avião desaparecido há 20 dias só deve acontecer no sábado, quando é esperada a chegada do primeiro navio ao local. A Marinha chinesa deslocou o navio patrulheiro Haixun 01 para a área onde os objetos foram avistados. "A expectativa é de que o tempo esteja razoável para a busca no sábado", completou o porta-voz australiano. Esses foram os primeiros objetos avistados após a AMSA mudar em cerca de mil quilômetros para o norte a área de busca. A mudança foi feita com base em novas informações enviadas pelo governo da Malásia. Novo local Segundo autoridades, análises de radares e satélites revelaram que o Boeing 777 voava em uma velocidade bem maior do que a calculada anteriormente. Assim, o uso de combustível foi maior, reduzindo a distância que a aeronave percorreu rumo ao sul do Oceano Índico. A diferença entre o antigo local das buscas e o novo equivale a uma distância maior do que a existente entre Londres e Berlim, por exemplo. Nesta sexta-feira, dez aviões, de seis países, vasculharam uma região de 319 mil quilômetros quadrados, a cerca de 1.850 quilômetros da cidade australiana de Perth. Neste ponto, a profundidade no oceano varia entre 2 e 4 mil metros. O Boeing 777, que saiu de Kuala Lumpur com destino a Pequim, desapareceu no dia 8 de março. Após dias de mistério, na última segunda-feira o governo da Malásia confirmou que o avião com 239 pessoas a bordo caiu no Oceano Índico e descartou a possibilidade de haver sobrevivente. Até o momento, as causas que levaram os pilotos a mudarem a rota do voo MH370 e o motivo da queda permanecem um mistério, que possivelmente só será revelado quando as caixas-pretas da aeronave forem encontradas. CN/rtr/dpa

TAGS