PUBLICIDADE
Notícias

Deutsche Welle protesta por agressão policial a correspondente no Rio

14:54 | 12/02/2014
Em carta à Embaixada do Brasil em Berlim, diretor-geral da DW, Peter Limbourg, manifesta repúdio à violência da polícia contra repórter alemão durante protesto. Embaixadora diz que caso terá apuração rigorosa. O diretor-geral da Deutsche Welle, Peter Limbourg, enviou uma carta à Embaixada do Brasil em Berlim repudiando a violência policial contra o correspondente da emissora no Rio de Janeiro, durante o protesto de quinta-feira (06/02) na cidade. O jornalista alemão Philipp Barth cobria o protesto contra o aumento do preço da passagem de ônibus no Rio. A manifestação, que no início era pacífica, transformou a região da Central do Brasil num palco de violência. O correspondente da DW recebeu golpes de cassetete na barriga e nas costas de um policial. Alguns dos golpes atingiram também sua câmera, que ficou danificada. "Liberdade de imprensa é um bem importante, com o qual o Brasil também está comprometido", afirmou Limbourg na carta à embaixadora do Brasil em Berlim, Maria Luiza Viotti. No texto, ele diz que acontecimentos como o de quinta-feira passada não estão de acordo com a boa cooperação desenvolvida até agora entre a Deutsche Welle e o Brasil. "Por isso, gostaria de pedir enfaticamente que o seu país se esforce para que tais incidentes não mais ocorram, e que faça todo o possível para garantir a segurança de nossos correspondentes", escreveu Limbourg. Maria Luiza Viotti respondeu, também em carta, que o governo brasileiro lamenta profundamente "o alegado episódio" com o jornalista da Deutsche Welle. De acordo com ela, será determinada a apuração rigorosa do incidente pelas autoridades competentes. "O governo brasileiro tem presente a importância da liberdade de atuação da imprensa como princípio para o exercício pleno da democracia e oferecerá todas as garantias de segurança para o trabalho da imprensa nacional e estrangeira", escreveu Viotti.

TAGS