PUBLICIDADE
Notícias

Tropas francesas devem entrar em combate no Mali

11:17 | 16/01/2013
Tropas francesas tomavam a direção do norte do Mali, rumo ao território ocupado por islamitas radicais, informaram militares, afirmando também que o início de uma ação que vai colocar os soldados em combate direto com os militantes deve ocorrer "em algumas horas".

As operações francesas em terra começaram durante a noite, informou o almirante Edouard Guillaud, Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, ao canal de televisão Europe 1. O ministro da Defesa da França, Jean-Yves Le Drian, disse à rádio RTL que os soldados haviam deixado a relativa segurança da capital, Bamako, e tomado a direção dos redutos rebeldes, no norte.

Moradores de Niono, cidade localizada na região central do Mali e que fica ao sul da localidade tomada pelos jihadistas no início da semana, disseram ter visto caminhões com soldados franceses chegarem durante a noite. O alvo da infantaria francesa é Diabaly, localizada a 400 quilômetros nordeste da capital e cerca de 70 quilômetros ao norte de Niono.

Aviões franceses têm realizado ataques aéreos contra Diabaly desde o final de semana, quando uma coluna de dezenas de veículos rebeldes bloquearam a estrada que sai da localidade e tomaram a cidade, assim como seu campo militar.

Porém, cinco dias de ataques aéreos fizeram pouco para reduzir os ganhos dos rebeldes no norte do Mali. Alguns analistas ocidentais temem que a região possa se tornar uma plataforma para novos ataques terroristas.

A Alemanha vai enviar dois aviões militares para ajudar no transporte de tropas africanas que vão auxiliar os esforços internacionais no Mali. O ministro da Defesa, Thomas de Maiziere, disse que dois aviões C-160 vão decolar assim que alguns problemas técnicos tiverem sido resolvidos.

Ele afirmou nesta quarta-feira em Berlim que as aeronaves serão usadas para transportar soldados provenientes dos 15 países do bloco regional Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (Ecowas, pela sigla em inglês) para a capital do Mali, Bamako.

A Alemanha também vai fornecer 1 milhão de euros (US$ 1,3 milhão) para ajuda humanitária e para o país africano, onde os confrontos já desalojaram dezenas de milhares de pessoas.

A Itália também está preparada para dar apoio logístico às operações aéreas contra extremistas islâmicos no Mali, informaram autoridades nesta quarta-feira.

O ministro da Defesa Giampaolo Di Paola disse ao Senado nesta quarta-feira que a oferta de ajuda logística é estrita a operações aéreas e não inclui ações em solo. As informações são da Associated Press.

TAGS