PUBLICIDADE
Notícias

Curdos protestarão em Paris contra morte de ativistas

10:20 | 12/01/2013
Milhares de curdos de toda a Europa devem se reunir em Paris neste sábado em protesto contra o assassinato de três ativistas curdas assassinadas na capital francesa. As manifestantes foram encontradas mortas na última quinta-feira em frente a um centro de informações curdo. A polícia do país está em estado de alerta e a segurança na embaixada turca foi intensificada antes dos protestos.

Fontes judiciais francesas informaram na última sexta-feira que as três mulheres haviam sido baleadas pelo menos três vezes na cabeça, fortalecendo a teoria de que o crime foi uma execução. Entre as vítimas estava Sakine Cansiz, uma das fundadoras do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, o PKK, que vem travando, desde 1984, uma luta armada pela autonomia curda no sudeste da Turquia.

Ativistas curdos acusam a Turquia de estar por trás dos assassinatos. Mas o governo do país rejeitou qualquer hipótese de envolvimento e alegou rixas internas dentro do PKK para explicar as mortes. O primeiro-ministro do país, Recep Tayip Erdogan, pediu neste sábado à França que esclarecesse "imediatamente" os assassinatos.

As mortes ocorreram dias depois de a mídia turca informar que a Turquia e a liderança do PKK haviam entrado em um acordo para acabar com uma insurgência de três décadas, e que já deixou mais de 45 mil mortos. Especialistas dizem que os assassinatos podem ter sido uma tentativa de sabotar o processo de paz nascente.

A polícia analisa a possibilidade de que as mortes foram provocadas por uma disputa sobre por dinheiro, na qual o PKK é suspeito de estar envolvido. O grupo levanta fundos através de um "imposto revolucionário", classificado como extorsão por autoridades de vários países. A ala militar do PKK advertiu que vai responsabilizar a França se não houver progressos na investigação. As informações são da Dow Jones.

TAGS