PUBLICIDADE
Notícias

Cientistas japoneses criam salmão a partir de pais substitutos

18:24 | 15/01/2013
TõQUIO, 15 Jan 2013 (AFP) - Cientistas japoneses criaram com sucesso um tipo de salmão utilizando pais substitutos de espécies diferentes, uma inovação que pode ajudar a preservar criaturas ameaçadas de extinção, informou esta terça-feira, 15, o pesquisador que comandou os estudos.

Cientistas congelaram os testículos de um salmão "yamame", peixe nativo do Japão, cujo ciclo de vida ocorre nos rios, antes de extrair as células embrionárias primordiais e implantá-las em alevinos (filhotes) estéreis de trutas arco-íris.

Estas células primordiais, denominadas espermatogônias, foram usadas pelo corpo em crescimento do peixe para desenvolver esperma funcional em machos e óvulos viáveis em fêmeas, explicou o pesquisador Goro Yoshizaki, da Universidade de Tóquio de Ciência e Tecnologia Marinha.

Os óvulos e o esperma podem ser fundidos in vitro para produzir um salmão "yamame" saudável, explicou o cientista à AFP.

"No que diz respeito a estes tipos de truta e salmão, posso afirmar que este método está completo e nós podemos recriar esperma e óvulos, bem como indivíduos, das espécies originais a qualquer momento", explicou Yoshizaki à AFP.

"Nós confirmamos que a tecnologia também pode ser aplicada para impulsionar a criação de baiacu também", afirmou, em alusão ao popular, porém venenoso, peixe considerado uma iguaria no Japão.

Yoshizaki e sua equipe já estão trabalhando em um projeto com vistas a preservar as espécies de peixes ameaçadas e gostariam de ver se o mesmo processo também é possível em anfíbios.

"Eu gostaria de saltar de uma classe para outra de forma que esta tecnologia possa, eventualmente, ser aplicada em répteis e mamíferos", afirmou.

"Mas o obstáculo ainda é grande porque o conjunto de genes é muito diferente entre mamíferos fêmeas e machos", acrescentou.

O estudo foi publicado na edição online do periódico norte-americano Proceedings of the National Academy of Sciences.

TAGS