PUBLICIDADE
Notícias

Autor de massacre na sessão do Batman será julgado

08:50 | 11/01/2013
AFP
AFP

O suposto autor do massacre em um cinema do Colorado que matou 12 pessoas será indiciado nesta sexta-feira, depois que testemunhas ouvidas nesta semana forneceram detalhes angustiantes sobre o crime.

James Holmes, de 25 anos, é acusado de abrir fogo contra as pessoas que assistiam à estreia do último filme do Batman, "O Cavaleiro das Trevas Ressurge", em um cinema de Aurora, Colorado, à meia-noite do dia 20 de julho, matando 12 pessoas e ferindo outras 58.

Na audiência, ele irá ouvir cada uma das 166 acusações que enfrenta, que incluem assassinato em primeiro grau para as 12 pessoas que morreram, tentativa de homicídio para os feridos, bem como a posse de explosivos e dispositivos incendiários.

Durante três dias no início desta semana, o Ministério Público convocou testemunhas que forneceram diversos detalhes sobre o massacre, e divulgou gravações do serviço de emergência 911 nas quais o caos e os sons de tiros sendo disparados eram claramente ouvidos.

Esperava-se que os advogados de Holmes apresentassem testemunhas para reforçar a alegação de que ele era mentalmente incapaz de ser julgado.

No entanto, por fim eles anunciaram que isso não seria feito, e o juiz William Sylvester determinou que os promotores haviam estabelecido que havia uma "motivos razoáveis" para acreditar que o acusado cometeu os crimes.

Pouco antes da ordem de julgamento do juiz, os advogados de Holmes apresentaram uma moção para que o comparecimento no tribunal nesta sexta-feira fosse apenas para uma audiência, e não para que ele seja acusado formalmente.

Mas Sylvester disse que a audiência, marcada para as 09h00 locais (14h00 de Brasília) desta sexta-feira, "fica convertida em uma acusação."

Testemunhas afirmaram que Holmes lançou bombas de gás na sala de cinema antes de abrir fogo aleatoriamente com armas incluindo um rifle, uma espingarda e uma pistola.

O juiz também rejeitou as alegações de que Holmes era mentalmente incapaz de ser julgado.

"O tribunal considera... que há motivos razoáveis para acreditar que o réu tinha o estado mental necessário para cometer o crime de assassinato em primeiro grau após deliberação", escreveu.

Durante as audiências preliminares desta semana, a promotoria apresentou provas de que Holmes havia planejado o ataque com bastante antecedência.

Elas incluíam fotos encontradas em seu iPhone, sugerindo que ele tinha pesquisado sobre o cinema semanas antes do tiroteio. Também havia diversas imagens que mostravam Holmes posando com armas e explosivos horas antes do massacre.

Ele também fez ao menos 16 compras de maio a julho de 2012 de diversos produtos, incluindo quatro armas de fogo, dispositivos incendiários e quase 6.300 cartuchos de munição, segundo o tribunal.
Antes das audiências desta semana, ocorreram especulações de que os advogados de Holmes poderiam buscar um acordo judicial no qual ele iria admitir a culpa em troca de evitar a pena de morte, por exemplo.

O massacre de Aurora reavivou o debate sobre o controle de armas nos Estados Unidos - uma questão que voltou à tona no mês passado, quando 20 crianças foram mortas em um tiroteio em uma escola primária de Connecticut.

 

AFP

TAGS