PUBLICIDADE
Notícias

Assad diz ter capturado mercenários estrangeiros

18:01 | 16/05/2012
Em sua primeira entrevista em quase seis meses, o presidente sírio Bashar Assad declarou nesta quarta-feira que seu governo capturou mercenários estrangeiros que estão lutando ao lado da oposição. A declaração tem com o objetivo de mostrar que suas forças estão combatendo terroristas e não ativistas que lutam pela democracia.

Durante entrevista ao canal estatal de notícias russo Rossiya-24, Assad afirmou que não tem nenhuma intenção de abrandar sua posição no país, apesar do plano de paz que incluiu um cessar-fogo. O presidente sírio disse que a decisão do Conselho Nacional Sírio de boicotar as eleições parlamentares deste ano desacreditou o grupo. "Apelar a um boicote das eleições equivale a apelar a um boicote das pessoas", disse ele. "E como você pode boicotar as pessoas das quais se considera um representante? Portanto, não acho que eles têm algum peso ou significado dentro da Síria", disse Assad cujas observações foram traduzidas para o russo.

O presidente afirmou que extremistas religiosos e membros da Al-Qaeda vindos do exterior estão entre as forças que combatem seu governo. "Há mercenários estrangeiros, alguns eles ainda vivos. Eles estão sendo presos e estamos prontos para exibi-los para o mundo", declarou.

Embora a violência se espalhe pelo país, Assad disse à emissora que seu país apoia sua agenda de reformas. Segundo ele, a eleição parlamentar mostra que os sírios "até o momento, apoiam os rumos da reforma". O governo saudou as eleições de 7 de maio como um marco das promessas de reforma política.

A Rússia tem sido o aliado mais leal e poderoso da Síria durante todo o período do levante contra Assad. O país vende armas para o regime e tem bloqueado as ações contra Damasco apresentadas no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

TAGS