Participamos do

Educação, esporte e solidariedade: Instituto Povo do Mar distribui presentes e cestas básicas para famílias

Com o encerramento das atividades de 2021, o Instituto se preparou para se despedir dos pequenos, mas sem esquecer de cumprir com o papel que assumiu na vida deles
18:56 | Dez. 17, 2021
Autor Levi Aguiar
Foto do autor
Levi Aguiar Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Surf e educação remando juntos. Essa é a rotina das crianças e jovens assistidas pelo Instituto Povo do Mar (Ipom). Tudo começa pela manhã, a garotada acorda e um ônibus já os leva em direção à sede do Ipom, localizado no Vicente Pinzon. São cerca de 500 crianças que possuem, de segunda à quinta-feira, acesso à arte, educação e esporte, de maneira gratuita, no contraturno do horário escolar.

Com o encerramento das atividades de 2021, o Instituto se preparou para se despedir dos pequenos, mas sem esquecer de cumprir com o papel que assumiu na vida deles. A garotada recebeu presentes e a família voltou para casa com uma cesta básica, além do frango e de biscoitos doados por empresas parceiras.

“Nem todo mundo tem uma ceia de Natal na família. A ajuda do Instituto é muito importante. O Natal é uma data comemorativa, a família quer estar reunida. É muito legal que eles proporcionem isso às famílias”, diz a Bruna Ferreira, 27 anos, mãe do João Vitor de 11 anos, que frequenta o Ipom.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

 

Fim do ano no Instituto Povo do Mar. Famílias das crianças ligadas ao IPOM recebem presentes e cestas básicas
Fim do ano no Instituto Povo do Mar. Famílias das crianças ligadas ao IPOM recebem presentes e cestas básicas (Foto: Levi Aguiar)

Os agentes que atuam no Ipom acreditam que esse gesto, de proporcionar uma ceia de Natal às famílias do Vicente Pinzon, é uma ação que busca destacar o valor da solidariedade. Segundo a diretora do Instituto, Fabrini Andrade, com o encerramento das atividades  de 2021, todas as crianças recebem presentes. “Mas esse ano, a gente tem um gostinho especial. As famílias vão receber suas cestas básicas, que vão garantir o mês de férias das crianças”.


O Instituto é uma Organização da Sociedade Civil (OSC), que atende crianças há 11 anos. Fabrini explica que o local busca entregar um programa de atividades que promovem desenvolvimento humano dos pequenos. No esporte, tem a capoeira, surf, jiu-jitsu e educação física e o o skate. Na arte tem arteterapia, arte urbana e arte visual. Já na educação, há o inglês, educação ambiental e o universo digital.

Quem faz parte do time do Instituto é a Sandy Santana, 20 anos, monitora de karatê. A Sandy conheceu o local com 9 anos de idade, quando era uma educanda. “O Instituto me abraçou e me apoiou sempre que eu precisava. Depois de educanda, hoje eu sou monitora, e faço tudo o que o Ipom já me ensinou. É uma virada de chave muito grande. Hoje, eu tenho contato com os alunos, e eles confiam em mim, se abrem para contar histórias e me pedem abraço”, relata emocionada.

Sandy Santana, monitora no Instituto Povo do Mar (IPOM)
Sandy Santana, monitora no Instituto Povo do Mar (IPOM) (Foto: Levi Aguiar)

Com as diversas atividades do Instituto, as crianças acabam se desenvolvendo de várias formas. A Maria da Conceição, de 47 anos, contou que a Júlia dos Santos, 10 anos, era muito tímida, e depois de um ano ela se tornou mais extrovertida: “Com um ano aqui, ela deixou um pouco a timidez de lado para se tornar uma menina mais comunicativa”. Júlia então complementa a fala da mãe: “Eu adoro reencontrar meus amigos, conviver com os educadores do Instituto. Minha atividade preferida é o surf. É legal entrar na água”, conta.

Fim do ano no Instituto Povo do Mar. Famílias das crianças ligadas ao IPOM recebem presentes e cestas básicas
Fim do ano no Instituto Povo do Mar. Famílias das crianças ligadas ao IPOM recebem presentes e cestas básicas (Foto: Levi Aguiar)

O mesmo valeu para Dafne Brito, 35 anos, e a filha Sofia Ashley, 13 anos. “Aqui ela consegue interagir com outras crianças, porque durante este período de pandemia, ela ficava em casa direto. Eu coloquei ela no Instituto Povo do Mar, para que ela pudesse ter acesso ao lazer, educação e esporte”, comenta Dafne.

Fim do ano no Instituto Povo do Mar. Famílias das crianças ligadas ao IPOM recebem presentes e cestas básicas
Fim do ano no Instituto Povo do Mar. Famílias das crianças ligadas ao IPOM recebem presentes e cestas básicas (Foto: Levi Aguiar)

“Eu gosto de todas as atividades do Instituto. Na maioria das vezes, eu converso muito com meus amigos. Eu adoro todos os esportes aqui, e principalmente o pingue pongue durante o intervalo das atividades”, diz Sofia.

LEIA MAIS | 3ª dose: meta do Ceará é vacinar 80% de grupos prioritários até fim do ano

Covid-19: Ceará tem 90% da população acima de 12 anos com a 1ª dose e mais de 80% com a 2ª

Doações para o instituto

Para que tudo isso fosse possível, a entidade costuma receber doações de pessoas físicas, que correspondem a 10% da renda do Ipom. Os outros 90% vêm de diversas outras empresas e parceiros, chamados de brothers. Um parceiro recente foi a modelo comercial e influenciadora, Mariana Velloso.

A digital influencer é fortalezense, mas mora em São Paulo. Mariana fez um bazar em novembro, e com o valor arrecadado doou 50% para a ação de hoje. “Depois de seis anos como modelo comercial, a gente recebe muitas roupas. Com isso, eu sempre quis fazer algo beneficente”.

Com a ideia do bazar, ela decidiu vir a Fortaleza e procurar instituições sociais para apoiar: “Depois de ser apresentado ao Ipom, eu pensei: não vamos mais procurar, é aqui mesmo. A proposta tem tudo a ver comigo, eu amo a praia, esporte, cultura”, comenta.

Tenha acesso a todos os colunistas. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags