Participamos do

Cometa Leonard pode ser visto a olho nu de Fortaleza até o próximo dia 17

Melhor momento para observar o cometa Leonard pelos próximos dias é no final da tarde e início da noite, assim que o Sol se põe
21:12 | Dez. 15, 2021
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O cometa Leonard (C/2021 A1), descoberto em janeiro deste ano enquanto cruzava a órbita de Júpiter, está passando agora entre a Terra e o Sol, se tornando mais visível a olho nu a partir desta quarta-feira, 15, para os moradores de Fortaleza. Assim, o melhor momento para observar o astro até o próximo dia 17 é no fim da tarde e início da noite, assim que o Sol se põe.

De acordo com Romário Fernandes, professor de astronomia do Colégio do Corpo de Bombeiros do Ceará, já existia uma forte expectativa de que o cometa alcançasse um brilho capaz de ser visto facilmente com telescópio e binóculo, podendo ser visível também a olho nu em locais bem afastados das luzes da cidade.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"Observações feitas por astrofotógrafos e astrônomos amadores de diferentes lugares do mundo de ontem para hoje indicaram que o cometa alcançou um brilho sensivelmente maior, algo em torno de cinco vezes mais brilhante do que se esperava que ele estivesse neste momento, o que o torna passível de observação a olho nu, inclusive de cidades como Fortaleza", explica Romário.

De acordo com o professor, relatos de astrônomos amadores de outras localidades indicaram que já foi possível contemplar o cometa a olho nu. "Assim que o Sol se põe, ele já está visível naquela mesma direção, de acordo com relatos de astrônomos amadores de outros países [...] Ele se torna visível perto do poente e, logo em seguida, se põe", completa.

Cometa Leonard

Segundo explicações feitas pelo professor Romário em um vídeo do canal do Youtube chamado AstronomicaMENTE, o cometa Leonard foi descoberto em janeiro deste ano enquanto cruzava a órbita de Júpiter. Durante a primeira quinzena de dezembro, ele caminhou dia após dia na direção leste com magnitude oito, se tornando mais brilhante à medida em que se aproximava da Terra.

No dia 8 de dezembro, o cometa atingiu a magnitude cinco, tendo brilho suficiente para ser visto a olho nu de locais com céu mais escuro e distante de centros urbanos. Nesse mesmo dia, Leonard cruzou a órbita da Terra, o que pode ter gerado um aumento súbito de quase três vezes em seu brilho. No dia 12, ele atingiu a menor distância da Terra registrada durante sua passagem.

Até o dia 13, ele seguiu aumentando o brilho até magnitude quatro, mas, por ficar próximo demais do Sol, sua visibilidade era atrapalhada. Segundo o professor, cometas são feitos de rocha e gelo, então à medida que eles seguem em direção ao Sol, o gelo sublima (vira gás), refletindo a luz do Sol por conta desse fenômeno, o que os faz ter a conhecida calda brilhosa.

A partir desta quarta-feira, 15, o cometa já vai ter se afastado um pouco mais do Sol, ficando visível com magnitude entre quatro e cinco ao Oeste, logo após o Sol se pôr. A partir desta sexta-feira, 17, o astro vai passar bem próximo do planeta Vênus, facilitando sua localização. No final do mês, no entanto, ele vai se afastar mais do Sol, perdendo seu brilho até sair completamente da faixa de visibilidade do olho humano.

Tenha acesso a reportagens especiais. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags