PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Operação prende 14 pessoas em conjunto habitacional no Ancuri, em Fortaleza

Presente no local, o secretário da SSPDS, Sandro Caron, defendeu que a intenção da pasta é reforçar a presença das forças de segurança na região. Ameaças recebidas por moradores serão consideradas nas intervenções

Leonardo Maia
22:11 | 15/07/2021
Ação envolveu atuação de órgãos de segurança e fiscalização (Foto: Divulgação/SSPDS)
Ação envolveu atuação de órgãos de segurança e fiscalização (Foto: Divulgação/SSPDS)

Total de 14 pessoas foram presas em operação no Residencial Alameda das Palmeiras, no bairro Ancuri, em Fortaleza, entre 8 e 14 horas desta quinta-feira, 15. Um dos capturados era um homem, chamado Ardelino dos Santos Sousa, 29, com mandado de prisão em aberto por homicídio, enquanto os outros 13 foram presos por furto de energia. Houve ainda visitas a indivíduos monitorados que cumprem medidas cautelares e fiscalização de construções irregulares em áreas comuns do local.

No total, foram realizadas 232 inspeções da rede elétrica, por fiscais da Enel, e vistoria em 72 blocos, pelo Corpo de Bombeiros. Foi constatada irregularidade em centrais de gás dos prédios, assim como ausência de extintores de incêndio e obstrução com grades nas saídas de emergência.

O trabalho, coordenado pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS), deve acontecer na região de forma permanente e tem por finalidade detectar uma série de irregularidades, como ameaças recebidas por moradores, furto de energia e pessoas com mandado de prisão em aberto.

LEIA MAIS | Sete municípios cearenses superam a média nacional de mortes violentas intencionais

+ Ceará recebe mais de R$ 20 milhões para investimento em segurança pública

Presente no local para acompanhar os trabalhos, o titular da SSPDS, Sandro Caron, destacou que a operação tem intenção de se aproximar dos moradores do Residencial. “Rompemos com a ideia de que as polícias só passam, não permanecem. O braço do Estado é mais forte”, enfatiza o secretário. A ação foi a primeira fase da chamada “Operação Domus".

Participaram da ação 210 agentes, entre pessoas de forças de segurança do Estado e órgãos municipais de segurança e fiscalização. A inteligência da polícia também auxiliou os trabalhos, com dados elaborados pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) da SSPDS, além de atuação da Coordenadoria de Inteligência (Coin) e da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).

Veja vídeo da ação, divulgado pela assessoria da SSPDS