PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Circulação de veículos em Fortaleza cai 60% durante "toque de recolher"

Medida foi definida no último decreto do governo estadual e visa evitar a circulação das pessoas entre 22h e 5h na Capital

Mirla Nobre
18:28 | 25/02/2021
FORTALEZA,CE, BRASIL, 20.02.2021: Avenidas vazias após toque de recolher determinado pelo governo do estado. Av. Washington Soares. (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FABIO LIMA)
FORTALEZA,CE, BRASIL, 20.02.2021: Avenidas vazias após toque de recolher determinado pelo governo do estado. Av. Washington Soares. (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FABIO LIMA)

A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) registrou, em uma semana de vigência do novo decreto do Governo do Ceará, a redução de mais de 60% do tráfego de veículos após as 22 horas, em virtude do toque de recolher, medida estabelecida no último decreto, que vale até o próximo domingo, 28. Os dados foram divulgados pelo órgão nesta quinta-feira, 25, em live nas redes sociais.

A superintendente da AMC, Juliana Coelho, destaca a adesão das pessoas ao cumprimento da medida, que visa evitar a circulação das pessoas e possíveis aglomerações na Capital. “Houve uma redução de mais de 60% da circulação nas ruas. Há uma grande adesão das pessoas em não saírem de casa a partir das 22 horas até as cinco da manhã. Isso é bastante positivo”, comenta.

Leia Também | Policiais dispersam ambulantes na Praia de Iracema após horário determinado em decreto

Durante o período de vigência do "toque de recolher", a região do Centro foi a que apresentou uma queda mais acentuada na circulação, correspondendo a 64,3%. Em seguida, vem a área da Aldeota, cujo índice de redução foi de 63,2%. Para realizar a análise, o valor de referência considerado foi o de tráfego normal antes da pandemia comparando com os últimos cinco dias úteis deste mês, de 18 a 24 de fevereiro. 

Ainda no mesmo levantamento, ao considerar o período das últimas 24 horas, foi registrada redução de fluxo de veículos em Fortaleza, onde caiu em média 25%. A AMC aponta que o resultado mostra que as medidas de fiscalização estão surtindo efeito na Capital

Apesar da queda nos números da circulação dos veículos na última semana, a superintendente da AMC, reforça para continuar a evitar deslocamento desnecessário. “Reforçando mais uma vez, a importância das pessoas só se deslocarem por motivos de trabalho ou saúde, apresentando alguma declaração que prove esse seu motivo de deslocamento”, pontua.