PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Justiça determina internação psiquiátrica de homem que matou avó

Laudos médicos mostram que suspeito é portador de esquizofrenia e "retardo mental". Ele afirmou ter ouvido vozes que mandavam praticar o crime

Lucas Barbosa
19:34 | 01/02/2021

A Justiça determinou a internação provisória do jovem de 22 anos preso em flagrante após matar a própria avó paterna no bairro Jardim Iracema. Caso ocorreu na noite desse domingo, 31. Documentos médicos mostram que Francisco Mauricio dos Santos Nascimento é portador de esquizofrenia e "retardo mental". Ele faz, inclusive, uso de medicamento controlado e acompanhamento psiquiátrico em um Centro de Atenção Psicossocial (Caps).

A decisão foi tomada em audiência de custódia realizada nesta segunda-feira, 1º. A juíza Adriana da Cruz Dantas afirmou na peça que "muito mais do que cadeia, o mesmo parece precisar de tratamento". A decisão cita que a Lei determina que peritos forenses concluam pela inimputabilidade ou semi-imputabilidade de réu a que se atribua transtorno mental. 

Entretanto, a juíza afirma que a realização do exame de insanidade mental pode demorar, sendo que a liberdade do autuado "coloca em risco a ordem e a saúde pública". "O autuado matou sua avó paterna asfixiada,devendo ser consignado que a lesada era uma senhora idosa e, portanto, sem condições de reagir à agressão perpetrada pelo próprio neto", cita. A medida cautelar de internação provisória deve ser cumprida no Instituto Psiquiátrico Governador Stênio Gomes.

Cecília Alves do Nascimento, de 64 anos, foi morta asfixiada. Lesões decorrentes de objeto contundente também foram encontradas no corpo pela Perícia Forense. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o suspeito foi encontrado por policiais militares em um outro cômodo da casa. Na delegacia, ele confessou, afirmando ter ouvido vozes que mandavam que matasse a avó.