PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

82% das ocorrências da Defesa Civil em Fortaleza são de risco de desabamento

De acordo com relatório parcial de janeiro, a Defesa Civil recebeu 88 chamados de risco de desabamento nos primeiros 25 dias do mês. A Regional V concentrou quase 25% das ocorrências registradas

Leonardo Maia
21:07 | 26/01/2021
Desabamentos podem ser prevenidos por meios de inspeções da Defesa Civil. Na foto: varanda de prédio que desabou na avenida Barão de Studart, em dezembro de 2020. (Foto: Deisa Garcêz/Especial para O Po)
Desabamentos podem ser prevenidos por meios de inspeções da Defesa Civil. Na foto: varanda de prédio que desabou na avenida Barão de Studart, em dezembro de 2020. (Foto: Deisa Garcêz/Especial para O Po)

Defesa Civil de Fortaleza recebeu 88 chamados de risco de desabamento em janeiro deste ano, segundo informações de relatório parcial divulgado pela assessoria do órgão. Esse tipo de ocorrência representou 82% do total de chamados registrados entre os dias 1º e 25 deste mês — no total foram 107 chamados registrados.

Além das situações em que se constata apenas o risco, a Defesa Civil atendeu oito chamados de desabamento nesse período. Completam a lista oito ocorrências de incêndio e outras três classificadas como “outros” — categoria correspondente a trotes, vistorias, monitoramentos, asfalto cedendo, vulnerabilidade social, solicitação de material, bueiros e crateras em via pública.

Leia Também | Saiba como se proteger de desabamentos durante o período chuvoso

+ Reportagem: A Cidade envelhece e precisa de manutenção

O maior número de demandas — quase 25% do total —foi registrado na Regional V, que engloba bairros como Granja Portugal, Bom Jardim, Mondubim e Conjunto Ceará.

Caso note alguma suspeita de risco de desabamento, o morador deve contatar o órgão através do número 190, da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). A Defesa Civil conta com agentes que trabalham em regime de plantão, 24h, e que podem ser acionados pelo número para realizar inspeções. O relatório da análise pode servir até como uma forma de comprovar ao dono da propriedade a necessidade de uma reforma, caso a casa não pertença à pessoa que solicitou a visita do órgão.