PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Júpiter e Saturno estarão muito próximos pela 1ª vez no século; próximo alinhamento só em 2080

A última vez que alinhamento aconteceu foi ainda em 1623 e o próximo está previsto para 2080. A live começa a partir das 18 horas e terá comentários do prof. Dr. Ednardo Rodrigues da equipe do Grupo de Astronomia da Seara (GAS Interestelar)

Gabriela Feitosa
13:52 | 21/12/2020
Registro do professor e fotógrafo Heliomarzio Moreira mostra junção Júpiter e Saturno feita com Telescópio MEADE LX10, Redutor focal e
Câmera ZWO ASI 120MC (Foto: Arquivo Pessoal/ Heliomarzio Moreira)
Registro do professor e fotógrafo Heliomarzio Moreira mostra junção Júpiter e Saturno feita com Telescópio MEADE LX10, Redutor focal e Câmera ZWO ASI 120MC (Foto: Arquivo Pessoal/ Heliomarzio Moreira)

Pela primeira vez no século, os planetas Júpiter e Saturno estarão muito próximos e podem ser vistos da terra nesta segunda feira, 21. O fenômeno é considerado raro, principalmente porque dessa vez a distância é ainda menor: cerca de um grau. A última vez que alinhamento aconteceu foi ainda em 1623 e o próximo está previsto para 2080. A conjunção poderá ser vista tanto a olho nu quanto com o uso de binóculos ou telescópios e fica visível até dia 26. A dica é aproveitar locais altos para observar, evitando aglomerações e respeitando medidas sanitárias nesse período de pandemia.

Para quem quiser acompanhar de forma virtual, o canal no YouTube da Seara da Ciência da Universidade Federal do Ceará vai transmitir ao vivo neste link.

A transmissão será realizada a partir do Observatório Astronômico Ferruccio Ginelli e contará com os comentários do Prof. Dr. Ednardo Rodrigues, coordenador do Grupo de Astronomia da Seara (GAS Interestelar) e do diretor de Astronomia da Seara, professor Dermeval Carneiro. O POVO conversou com Dermeval e com professor de Física e Astronomia Heliomarzio Moreira, que também é fotógrafo fez um registro no último domingo, 20, do início do alinhamento.

De acordo com Dermeval, esse alinhamento acontece quando um planeta está exatamente atrás do outro e, a olho nu, conseguimos observar que está havendo uma confluência. "As circunstâncias geométricas estão próximas. Júpiter com suas luas e Saturno ao lado com um grau de diferença. A olho nu você só vê um objeto bem distante", comenta Carneiro. O fenômeno é considerado raro porque os dois planetas se movimentam de forma muito distinta no sistema solar: Saturno leva cerca de 30 anos terrestres para dar uma volta em torno do sol e júpiter leva 12 anos. "Júpiter passar na frente de saturno é uma coincidência rara", observa.

"Belíssimo espetáculo no céu"

Não à toa, os povos antigos chamavam Saturno de "Cronos", o deus romano do tempo. Ele se desloca lentamente entre as estrelas e é o último planeta do sistema solar que pode ser visto a olho nu. Diferente dele, Mercúrio leva o título de "Mensageiro dos Deuses". Muito rápido, ele leva somente 88 dias para circular o sol.

Ainda segundo Dermeval, o belíssimo espetáculo no céu não afeta a Terra de nenhuma forma. Se estivéssemos mais perto a força gravitacional desses planetas afetaria nossas marés. Mas, pode ficar tranquilo: estamos há mais de um bilhão de quilômetros de distância. Júpiter ainda tem outro papel importante para a gente: ele serve como um "filtro" da Terra em relação às asteroides.

Próxima conjunção entre Júpiter e Saturno só em 2080

De acordo com Heliomarzio Moreira, professor de Física e Astronomia, a última conjunção como essa aconteceu 16 de julho de 1623 (nessa, Júpiter e Saturno ficaram a 15 graus do Sol). Teve uma anterior a essa data, em 4 de março de 1226. A próxima está prevista para o dia 15 de março de 2080. Hoje também é solstício de verão para o nosso hemisfério (Sul). Entenda aqui o que é.

Heliomarzio explica que alinhamentos vistos da terra podem acontecer a cada 20 anos, mas o que torna o de hoje especial é, justamente, a distância muito pequena entre os planetas. "Essa distância acontece só em termos angulares, porque, na verdade, cada um continua na sua órbita. Para quem olha da Terra é muito perto", comenta.