PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Policial visita família que salvou em incêndio e recebe gratidão das vítimas

"(Eu) Me senti muito contente e satisfeita em revê-lo, só tenho a agradecer", disse a idosa de 87 anos salva pelo agente de segurança durante a ocorrência

18:34 | 02/09/2020
O policial visitou a vítima do incêndio e recebeu gratidão  (Foto: Divulgação/PMCE )
O policial visitou a vítima do incêndio e recebeu gratidão (Foto: Divulgação/PMCE )

O policial militar Welson Gomes, da 1ª Companhia do 18º Batalhão da Polícia Militar, visitou família que ele ajudou a retirar de uma casa em chamas no dia 22 de julho deste ano. O encontro aconteceu no mesmo imóvel da ocorrência, na parte superior, em local que não foi atingido pelas chamas. A reunião aconteceu nesta quarta-feira, 2, na casa localizada no bairro Antônio Bezerra.

Durante a visita, dona Maria Eronilde Ramos, de 87 anos, uma das vítimas, demonstrou gratidão pelo socorro. "(Eu) Me senti muito contente e satisfeita em revê-lo, só tenho a agradecer”, disse a idosa. O militar relembrou a ocorrência e disse que estava feliz em saber que todos estão bem.

“No meu primeiro dia de retorno das férias, fiz questão de rever a dona Maria Eronilde. Fico muito feliz em saber que ela está bem de saúde, que o susto já passou e toda a sua família está recuperada. Só tenho a agradecer a Deus”, disse o policial militar.

Como foi o incêndio 

A ação do PM aconteceu quando o soldado realizava patrulhamento de rotina com seus companheiros de viatura e avistaram a casa em chamas. O policial desembarcou da viatura e adentrou a residência.

No dia do acidente, as primeiras pessoas a serem salvas pelo soldado foram duas crianças, Patrícia e Artur, de 7 e de 5 anos, respectivamente, as quais estavam nos primeiros compartimentos do imóvel. Vanessa, foi a terceira pessoa a ser salva. Ela estava na casa vizinha, para onde o fogo também já se alastrava. Os dois últimos a serem salvos pelo policial, com a ajuda dos demais companheiros, foram Francisco Otacílio de Araújo Ramos e Maria Eronilde Ramos, idosa de 87 anos.

O socorro a dona Maria foi o mais dificultoso, pois ela estava no andar superior da casa e tinha mobilidade reduzida. Na ocasião, o militar precisou ser internado após inalar fumaça, mas se recuperou. No dia da alta hospitalar, ele foi homenageado por outros colegas policiais.