PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Moradora registra momento em que dois homens assaltam veículo no bairro Mucuripe, em Fortaleza

Em vídeo, os assaltantes tentam roubar carro de uma mulher, mas falham na ligação. Um carro prateado foi assaltado com êxito na sequência

Ismia Kariny
13:13 | 02/09/2020

Moradora registra em vídeo o momento em que dois homens tentam assaltar veículo de uma mulher, na rua Senador Machado, no bairro Mucuripe, em Fortaleza. O caso ocorreu na noite da última terça-feira, 1º. Sem conseguir ligar o carro, modelo Hyundai Tucson, os dois assaltantes saem do veículo e apontam a arma para o condutor de um Mitsubishi Pajero prateado, que se aproximava do local.

O motorista é retirado à força da Pajero e os criminosos saem na sequência, batendo em um carro branco que estava estacionado na via. A cena foi filmada por uma moradora não identificada, que alertava sobre o crime aos gritos de “pega ladrão”. Uma outra mulher, também não identificada, pede a uma das testemunhas para acionar a Polícia por meio de ligação.

Leia também | Decreto que dá o nome de Marielle Franco à rua de Fortaleza é oficializado

Após o ocorrido, a Polícia Militar foi acionada por meio da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) e, depois de realizar diligências na região, localizou o veículo, que foi abandonado na rua Meruoca, no bairro Varjota (AIS 1). Segundo o comandante do 8º Batalhão, tenente-coronel Vicente de Paula, o carro foi recuperado cerca de cinco minutos após a Polícia ser acionada, retornado à vítima. Os suspeitos, entretanto, conseguiram fugir.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que foi registrado um Boletim de Ocorrência (BO) sobre a recuperação do veículo, no 2º Distrito Policial (DP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). O caso foi transferido para a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC), que segue em diligências, apurando os fatos, em busca de identificar os suspeitos do crime.

Como se comportar em situação de risco de assaltos

 

A reação da primeira vítima ao ser abordada na tentativa de assalto chamou atenção pelo comportamento cauteloso que teve ao lidar com os assaltantes. Segundo o tenente-coronel, Vicente de Paula, a reação da mulher foi prudente, diante da situação de risco à vida. Ela se afastou do carro logo que os criminosos entraram no veículo. Ao serem frustrados pela tentativa falha de fazer o carro ligar, eles desistiram e foram abordar outro veículo que se aproximava do local.

“A questão da reação é que você tem que manter a calma. Ele (o motorista do segundo carro) tentou fugir, mas ao mesmo tempo parou. De certa forma, é como se tivesse chamado os bandidos. Como parou de frente para o muro, os bandidos retornaram para pegar [o carro]”, analisa o tenente-coronel. Ele acrescenta que, naquele caso específico, o motorista teria conseguido escapar. Entretanto, frisa que a orientação é prezar pela vida, antes dos bens materiais.

Leia também | Polícia Civil dá dicas de como se proteger de golpes virtuais em tempos de coronavírus

Em casos de assalto nas ruas, em comércios e estabelecimentos, a reação cautelosa e sem movimentos bruscos é aquela que deve prevalecer. Em comércios, por exemplo, a orientação é entregar aquele bem que o assaltante está exigindo, “até mesmo para se livrar logo daquela ação”, acrescenta o comandante. Em seguida, a Polícia deve ser acionada para tomar providência sobre o ocorrido.

Outra dica é que, quando estiverem indo para casa, as pessoas estejam atentas a qualquer atitude suspeita de terceiros. Nesses casos, se estiverem conduzindo um veículo, deve-se passar direto e, se possível, procurar outra rota ou dar voltas até sentir segurança de seguir para a residência. Também nessa situação, a Polícia deve ser acionada.

Se a pessoa está a pé, ela deve seguir a mesma orientação de mudar o trajeto. Se não for possível e o suspeito efetuar a abordagem criminosa, a orientação é de entregar os bens e não reagir. “Manter a calma naquela situação é difícil. Mas no caso de um assalto, se a pessoa aponta uma arma, você não sabe se é de verdade ou de brinquedo. Então, é entregar [o bem material], porque o bem material você recupera, mas a vida, não”, frisa o comandante.

Denúncias

 

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS); ou para o telefone (85) 3101-2489, da DRFVC. O sigilo e o anonimato são garantidos.