PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Polícia Civil identifica outras 14 vítimas do grupo suspeito de envolvimento na morte de motorista de aplicativo em Fortaleza

Sexto e último suspeito de participar do crime foi preso nesse sábado, 15, em Caridade

13:52 | 16/08/2020
ALEXANDRE Hadlich Fernandes, motorista de aplicativo, foi encontrado morto em Aquiraz com marcas de violência  (Foto: reprodução/ arquivo pessoal )
ALEXANDRE Hadlich Fernandes, motorista de aplicativo, foi encontrado morto em Aquiraz com marcas de violência (Foto: reprodução/ arquivo pessoal )

Depois da prisão do sexto e último suspeito de envolvimento na morte do motorista de aplicativo Alexandre Hadlich Fernandes, 32, nesse sábado, 15, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou que pelo menos outras 14 vítimas do grupo foram identificadas desde sexta-feira, 14.

Paulo Gomes dos Santos Caetano, 32, conhecido por “Osório” foi preso na residência de parentes no município de Caridade, a 95 km da Capital, local onde teria fugido para se esconder da Polícia. A prisão de “Osório” foi decorrente de um mandado de prisão preventiva pelo latrocínio do motorista. Outros cinco suspeitos foram presos em flagrante na última quinta-feira,13, em Fortaleza. 

Assim como os demais presos, “Osório” confessou aos policiais civis que estava na cena do crime. Em depoimento, ele confirma que o grupo solicitou a corrida pelo aplicativo InDriver com a intenção de roubar o veículo para desmanche.

LEIA TAMBÉM | Motoristas de aplicativo realizam protesto após profissional ser encontrado morto 

O suspeito revelou que ele, Luan Vitor Araújo Silva, 22, e Lucas Monteiro de Freitas, 21, o “Playboy”, chegaram ao local do crime no carro VW Fox, apreendido pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) nas investigações.

A Polícia aponta que enquanto “Playboy” permanecia no Fox, “Osório” e Luan seriam os responsáveis pela abordagem, pelos disparos de arma de fogo contra a vítima e pela ocultação do cadáver, que foi encontrado dois dias após o latrocínio, na altura do quilômetro 30, da rodovia BR 116, em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza. 

Ainda conforme o DHPP, os presos “Osório”, Luan, “Playboy”, Helry Monteiro Araújo, 37, e Bruno Alisson Sousa, 24, são suspeitos de fazerem parte de um grupo criminoso cuja finalidade era roubar carros para vender as peças dos automóveis.

Vinicius Mahon Paiva, 26, também preso pelo DHPP, é um dos suspeitos de comprar os produtos roubados pelo grupo e revendê-los em uma loja de venda de peças de automóveis na Capital. Para a Polícia, a atuação do grupo era frequente e vinha acontecendo há pelo menos cinco meses.

Denúncias

A Polícia Civil segue apurando o caso no intuito de descobrir outras vítimas do grupo criminoso, bem como outros suspeitos que colaboravam com a empreitada criminosa. É fundamental que as vítimas compareçam ao DHPP para relatarem as ocorrências e subsidiarem o trabalho policial. O Departamento fica na Rua Juvenal de Carvalho, 1125, no bairro de Fátima, próximo à avenida Aguanambi, em Fortaleza.

A população também pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), para o (85) 3257-4807, do DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o WhatsApp do Departamento, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. O sigilo e o anonimato são garantidos.