PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Polícia prende dois homens suspeitos de assassinato de adolescente

Os suspeitos foram encaminhados para o Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa. Na casa onde foram encontrados, na Granja Portugal, foram apreendidos dinheiro, drogas e uma arma

13:30 | 11/08/2020
Delegado Márcio Lopes, titular da 2ª Delegacia do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), em coletiva. Foto: Ascom/SSPDS (Foto: Foto: Ascom/SSPDS)
Delegado Márcio Lopes, titular da 2ª Delegacia do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), em coletiva. Foto: Ascom/SSPDS (Foto: Foto: Ascom/SSPDS)

Dois homens suspeitos de serem os mandantes da morte da adolescente Jessiele Alves de Freitas, 16, no último dia 20 de julho, foram presos na tarde desta segunda, 10, em uma casa no bairro Granja Portugal, periferia de Fortaleza. Os homens de cerca de 30 anos não tiveram a identidade revelada e foram autuados em flagrante por posse ilegal de arma, tráfico de drogas e organização criminosa, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A dupla foi encaminhada à Delegacia de Capturas e, de lá, para um presídio.

Segundo o delegado Márcio Lopes, titular da 2ª Delegacia do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), que conduziu as investigações, as diligências apontaram para uma casa, no bairro Granja Portugal, que seria usada pela quadrilha como ponto de distribuição de drogas. Na tarde desta segunda, por volta das 14 horas, a Polícia foi até o imóvel e, ao bater na residência, vários homens fugiram pelo telhado. Os agentes conseguiram deter dois suspeitos no teto, com uma arma de fogo.

Ao entrarem na residência, de acordo com o delegado, foram encontrados cerca de um quilo de droga, entre maconha e pasta base, 700 gramas de crack, R$ 2,4 mil em dinheiro, duas balanças de precisão, material usado para embalar as drogas, três celulares, quatro relógios e uma máscara balaclava. Ainda de acordo com o delegado, existe a suspeita que a jovem não teria relação com o chefe da facção rival e que a informação dos criminosos era falsa.

“Ela tinha saído de casa para ir, com a irmã mais velha, fazer um lanche num estabelecimento comercial próximo. Ao voltar para casa, ela foi abordada por dois indivíduos que, de imediato, já foram disparando contra ela”, informa Lopes. A facção da qual faz parte os executores suspeitaram que ela tinha uma ligação com o indivíduo de uma facção rival. “Havia essa informação. Pode ter sido somente uma suposição dos criminosos de que ela teria envolvimento com esse indivíduo”, aponta o delegado.

As investigações continuam para descobrir a participação dos dois homens presos no crime. A Polícia identificou os autores homicídio enviou ao Fórum Clóvis Bevilácqua a representação pedindo a prisão dos dois suspeitos.