Participamos do

Plano de atacar residência do governador com coquetel molotov teria sido articulado por WhatsApp

Conforme a Polícia, os homens faziam parte de um grupo de empresários que protestava contra a exclusão de academias da 4ª fase do plano de retomada da economia
23:19 | Jul. 17, 2020
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Dois homens foram presos por ameaçarem jogar uma bomba caseira, conhecida como coquetel molotov, na Residência Oficial do governador do Ceará, Camilo Santana (PT). Os suspeitos combinaram a ação por meio do aplicativos de mensagens WhatsApp durante um protesto nesta sexta-feira, 17. Conforme a Polícia, eles faziam parte de um grupo de empresários que protestava contra a exclusão de academias da 4ª fase do plano de retomada da economia na Capital.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a prisão foi feita pela Polícia Militar do Ceará (PMCE) na manhã desta sexta. A dupla foi encaminhada ao 2º Distrito Policial (DP), no bairro Aldeota, e detida pelo crime de ameaça, previsto no artigo 147 do Código Penal.

Os suspeitos confessaram a autoria dos áudios contendo as ameaças de bomba caseira, mas afirmaram que não deram prosseguimento ao plano. As ruas do entorno da residência do chefe do Executivo Estadual chegaram a ser fechadas para impedir a ação criminosa.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags