PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Reitor da UFC rebate críticas contra aprovação do plano de retomada das atividades: "Há um grupo que sempre foi contra tudo"

Os professores explicam que a manifestação seria porque há esforço da administração superior para retornar o semestre na UFC e passar uma "falsa aparência de normalidade"

14:06 | 03/07/2020
 Fachada Reitoria | Universidade Federal do Ceará - UFC  (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
Fachada Reitoria | Universidade Federal do Ceará - UFC (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

Em resposta às críticas de alunos e discentes sobre a aprovação do plano de retomada das aulas, o reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Cândido Albuquerque, afirmou que o posicionamento contrário de algumas entidades é constante e o objetivo da retomada é evitar a evasão escolar. Os comentários foram feitos na manhã desta sexta-feira, 3, em entrevista à Rádio O POVO CBN.

LEIA MAIS| UFC não tem planejamento para atividades presenciais em 2020

Segundo ele, a Universidade seguiria outras unidades de ensino superior, continuando as atividades. Cândido afirma que  e o plano seria, na verdade, para continuar as atividades já que "apenas unidades com viés ideológico" escolheram não seguir a continuidade das aulas, de forma remota. "Há um grupo da universidade que sempre foi contra tudo, esse grupo quer parar. Quando temos uma paralisação como essa temos um grande problema, que é a evasão escolar, estamos tentando proteger nossos alunos", disse o reitor.

O representante da UFC retomou outro tema que trouxe conflitos entre a gestão e o corpo discente e docente da universidade: os encontros universitários. Na época, o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e o Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Estado do Ceará tinham divulgado cartas abertas e comunicados pedindo a suspensão do evento. Segundo eles, o acontecimento de forma virtual excluiria diversos estudantes e colocaria em risco quem teria que se deslocar, caso não tivesse acesso à internet. No evento, os alunos apresentam seus trabalhos científicos feitos ao longo do ano.

LEIA MAIS| Encontros Universitários da UFC devem acontecer de forma remota: Unidades acadêmicas e professores são contra a decisão

Mesmo com os protestos, o encontro aconteceu e a reitoria considerou como benéfica as apresentações. "Esse mesmo grupo que não quer que a gente continue com as atividades, pediu o cancelamento dos encontros. Os encontros foram um sucesso, mais de 1.500 trabalhos apresentados. E o que foi mais fundamental, ele saíram do campus da universidade", afirmou o reitor.

A Proposta Pedagógica Emergencial (PPE) para retomada do semestre 2020.1 na universidade a partir do próximo dia 20 de julho foi aprovada nesta quinta-feira, 2, pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE)

A crítica das entidades é que não houve representação estudantil. "Em todo o processo de retorno às atividades e de construção desse plano de retorno, a administração superior procurou evitar, restringir ou controlar a participação dos estudantes. Na decisão final também não foi diferente, com os estudantes ficando à margem das decisões", afirmou a Adufc em comunicado. 

Os docentes explicam que a manifestação seria porque há esforço da administração superior para retornar o semestre na UFC e passar uma "falsa aparência de normalidade". Segundo eles, fatores pedagógicos não foram considerados e muitos estudantes não vão conseguir acompanhar as disciplinas de maneira proveitosa, se sequer conseguirem acompanhar.

Além disso, o conselho de representantes da Adufc criticou a pressa em terminar e entregar o planejamento da proposta e defendeu a ampliação do tempo para reconstrução do plano, bem como para a formação docente e discente. Diante disso, a entidade afirma que na votação do projeto houve votos contra ou abstenções.

A reitoria, entretanto, contradisse essa versão. Durante a entrevista, Cândido Albuquerque ressaltou que aprovação teria sido quase unanime com " um voto contra e alguns abstenções'. Já sobre a participação dos alunos, o reitor explicou que eles não foram convocados porque não teriam representação oficial e teceu duras críticas. "Desde 2017, eles não conseguem fazer uma eleição. Inclusive, dizem que o grupo que está mandando ai se fizer uma eleição perde. Eles não conseguem fazer uma eleição e agora querem transmitir isso para administração superior? " disse.

A instituição visa instalar equipamentos tecnológicos das residências universitárias e logo possibilitar a distribuição dos 6.000 pacotes de internet para alunos que estão em situação de vulnerabilidade social.

Instituições de ensino superior ainda discutem retomada das aulas

Reitores, vice-reitores, diretores de centros acadêmicos e professores de instituições de ensino superior se reuniram com a Secretária da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) nesta quinta-feira, 2, no mesmo dia que a UFC aprovou seu projeto. O encontro discutiu a forma adequada de retomada das aulas em universidades públicas e privadas.

O secretário da pasta Inácio Arruda ressaltou que é preciso analisar as condições materiais de cada universidade para não deixar "nenhum aluno de fora". Ele afirmou também deve-se manter o diálogo e que sejam respeitadas questões sanitárias, mas também a inclusão dos estudantes.

A reunião, que contou com a participação de 238 representantes de intuições de ensino superior, levantou outros pontos como os concludentes deste ano e aos estágios presenciais. Tudo o assunto será colocado em um documento para ser analisado pelo governo do Estado.