PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

IJF atende a uma média de 10 queimados por dia no período junino

IJF produziu Guia com dicas para cuidados com queimaduras nas celebrações juninas. Material traz informações e orientações sobre os primeiros socorros

10:02 | 24/06/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 19-05-2020: IJF - Instituto Dr. José Frota fica localizado no Centro de Fortaleza (Foto: Aurelio Alves/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 19-05-2020: IJF - Instituto Dr. José Frota fica localizado no Centro de Fortaleza (Foto: Aurelio Alves/O POVO)

A emergência do Instituto Doutor José Frota (IJF) atende por dia, durante o período junino, a uma média de 10 pacientes vítimas de queimaduras. São crianças, donas de casa e trabalhadores da construção civil. Por conta disso, a unidade produziu material com dicas e informações sobre a prevenção de acidentes domésticos nas festas de São João, comemorado hoje. As dicas apontam sobre cuidados principalmente por contato com líquidos e alimentos quentes, chamas e descargas elétricas.

Historicamente, o período de festas juninas também era de preocupação por conta do grande número de vítimas de lesões por acionamento indevido de fogos de artifício e quedas em fogueiras. Atualmente, de acordo com informações do IJF, após anos de campanhas de conscientização, modernização das normas de comercialização de artigos explosivos e até pela urbanização dos costumes, observa-se uma redução das hospitalizações. Mas as ocorrências seguem como causadoras de mutilações e demais sequelas permanentes.

Por outro lado, os registros de acidentes com alimentos como café, mingau e sopas são bem numerosos. Sendo assim, os avisos são ainda mais importantes em dias de celebração, quando as famílias costumam se reunir para apreciar os pratos típicos das festividades, como milho cozido, canjica e mungunzá. Com foco na redução das hospitalizações por queimaduras e na orientação às famílias, o Guia produzido pelo IJF traz dicas e cuidados para evitar hábitos e situações de risco, em casa, no trabalho e até mesmo na rua.

A publicação, disponível online, contém também importantes orientações para primeiros socorros. A primeira regra é afastar a vítima da causa da lesão, com segurança, e lavar a região atingida apenas com água corrente, para a troca de calor e limpeza do ferimento. As equipes clínicas também reforçam que é importante não fazer uso de nenhuma fórmula caseira, como aplicar gelo, creme dental, manteiga, pó de café, mel ou qualquer outra receita informal, tendo em vista o risco de infecção.

Cybele Leontsinis, enfermeira do Núcleo de Queimados do IJF, aponta que existe a necessidade de reduzir, por meio de conscientização, o número de queimaduras e lesões graves. “Muitas vezes, essas lesões são incapacitantes”, diz em vídeo divulgado pela assessoria de comunicação da unidade. Segundo ela, a prevalência do atendimento do núcleo do IJF é por líquidos superaquecidos ou inflamáveis, choques elétricos, uso inadequado de extensões e fios desencapados em casa.

“Ao longo dos anos temos observado uma queda de queimaduras por fogos de artifício e o fogo direto por conta das fogueiras. Eles acontecem ao longo de todo o ano, mas o trabalho de prevenção vem ajudando a reduzir”, aponta. O alerta da especialista é para o uso do álcool. “Em caso de queimadura, não usar nenhuma substância, só água corrente, que não precisa ser gelada e encaminhar para a unidade hospitalar”, informa.

Juan Miguel, de um ano e dois meses, puxou um pano da mesa e sobre o tórax dele caiu leite quente. Cristiane Martins, a mãe, ficou desesperada e buscou atendimento no setor de queimados do hospital. “Isso serviu de aprendizado de não deixar a criança na cozinha na hora de fazer o mingau ou qualquer outra coisa quente. Criança cega a gente”, diz.

Serviço:


Setor de queimados do Instituto José Frota funciona diariamente, 24 horas.
Onde: rua Barão do Rio Branco, 1816 - Centro. Informações: 3255 5000.

O Guia para prevenção de queimaduras está disponível no link.

 

TAGS