PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Movimentos sociais protestam contra alta tarifa de energia elétrica

Ativistas do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Levante Popular da Juventude reclamaram sobre cobranças indevidas e contas duplicadas

Lais Oliveira
10:58 | 12/03/2020
Manifestantes ficaram concentrados na Praça do Ciclista.
Manifestantes ficaram concentrados na Praça do Ciclista. (Foto: Júlia Duarte)

Na manhã desta quinta-feira, 12, integrantes do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e do Levante Popular da Juventude realizaram protesto em frente à sede da Enel, no bairro Joaquim Távora, contra altas da taxas de energia elétrica. A ação faz parte da campanha "O Preço da Luz é um Roubo" e integra a Jornada Nacional de Lutas, realizada em março em referência Dia Internacional de Luta contra as Barragens, marcado o próximo sábado, 14. 

A caminhada de protesto passou pela avenida Aguanambi.
A caminhada de protesto passou pela avenida Aguanambi. (Foto: Letícia Lopes)

O MAB atua nacionalmente em defesa do direito à água e à energia para a população. De acordo com Marina Calixto, ativista do Movimento, além da reivindicação sobre os altos preços da conta de luz, as cobranças indevidas e as contas duplicadas, outra pauta do ato ocorrido foi a retirada do subsídio de 42% da conta de luz dos trabalhadores rurais por meio de um decreto aprovado em 2018, ainda no governo Michel Temer. "Os agricultores não têm condição de pagar uma energia elétrica mais cara do que eles já pagam. Com essa retirada, as famílias não tem condições de pagar o alto preço da luz, que acaba sendo um roubo. As famílias deixam de gastar com comida, com qualidade de vida, para pagar uma coisa que deveria ser um direito", afirma.

Segundo Marina, algumas famílias da zona rural têm recebido cobranças indevidas que chegam a R$ 8 mil. A caminhada passou pela avenida Aguanambi e seguiu em direção à sede das Promotorias de Justiças Cíveis e Especializadas do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), no bairro José Bonifácio, onde os manifestantes ficaram concentrados na Praça do Ciclista. Carros de som, tambores e dança puderam ser observados durante a manifestação. O MAB estima que cerca de 1.500 pessoas participaram do ato. No Ceará, a Jornada Nacional de Lutas começou no dia 10 de março com a ocupação da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), junto ao MST e ao Levante Popular da Juventude.

Em 2019, um levantamento feito pelo Programa Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Decon-CE) e pelo Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Fortaleza) mostrou que a Enel liderava o ranking de reclamações dos clientes com 3.725 queixas. Entre as reclamações mais comuns, estão a cobrança indevida/abusiva, produto com vício, dúvida sobre cobrança, cálculo de prestação/taxa de juros e valor de reajuste da mensalidade do serviço.

Questionada sobre as reivindicações do protesto, a Enel informou por meio de nota que "um grupo de manifestantes do MAB invadiu a sede da companhia hoje, 12, em Fortaleza, fazendo reivindicações de diversos temas, entre eles, água e energia. O grupo informou que era um movimento nacional e, com a chegada da Polícia ao local, saíram rapidamente".

 com informações de Júlia Duarte