PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Secretaria da Saúde promove ações gratuitas sobre hanseníase

Serão quatro atividades entre os dias 25 e 30 de janeiro de 2020

09:04 | 23/01/2020
Paciente mostra mancha na pele ocasionada pela hanseníase
Paciente mostra mancha na pele ocasionada pela hanseníase (Foto: Sara Maia/27/1/2013)

A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) realizará, entre os dias 25 e 30 de janeiro, ações voltadas para a conscientização sobre os cuidados com hanseníase, como prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. A abertura das atividades será neste fim de semana. No dia 25, sábado, haverá uma busca ativa de novos casos no Centro de Referência em Dermatologia Dona Libânia, no Centro da cidade. E, no dia 26, dia mundial de combate a hanseníase, profissionais da saúde e voluntários realizarão ação educativa no Shopping Benfica no período da tarde.

Nos dias 27 e 29, uma equipe de profissionais de saúde se reunirá na aldeia Munguba, em Pacatuba, para realizar um mutirão de informação e exames em localidades mais afastadas dos centros urbanos. E nos dias 28 e 30, o Centro de Referência em Dermatologia Dona Libânia e o Hospital Universitário Walter Cantídio receberão ao longo dos dias uma série de atividades educativas sobre o assunto.

A hanseníase é considerada um dos grandes problemas de saúde pública do mundo, de acordo com o mais recente relatório da Organização Mundial de Saúde. A doença é crônica e contagiosa, podendo gerar deformidades e causar incapacidade física nas pessoas infectadas nos casos mais graves. Por isso, o diagnóstico precoce é fundamental.

A transmissão da hanseníase acontece de pessoa para pessoa, por vias respiratórias, tosse ou espirro, por exemplo. Segundo a assessora técnica do Programa de Hanseníase da Sesa, Gerlania Martins, o convívio prolongado com quem está com hanseníase e que não iniciou o tratamento acaba aumentando os riscos de contaminação. Por isso, é importante ficar atento a qualquer sintoma, como o surgimento de manchas brancas ou avermelhadas na pele e perda da sensibilidade em alguma área do corpo.

Uma das melhores formas de enfrentar a doença é com a informação de qualidade, destaca o médico Mateus Pitombeira. Ele explica que existe muito preconceito diante do diagnóstico positivo para a doença e que o estigma social “advém de tempos bíblicos”, mas que precisa ser deixado de lado o quanto antes. Segundo ele, as pessoas podem ir na unidade de atenção primária à saúde mais próxima de suas residências para iniciar o processo de diagnóstico e tratamento gratuito pelo Sistema Único de Saúde.

O Brasil ocupa o segundo lugar com maior número de novos casos. Por ano, são registrados cerca de 30 mil novos casos no País. No Ceará, em 2019, foram confirmados 1.526 novos casos da doença. “O diagnóstico e início precoce do tratamento evitam qualquer lesão mais exuberante que porventura venha a causar desconforto ou vergonha nesses pacientes”, completou Mateus. Além disso, após iniciado o tratamento, a doença torna-se intransmissível.

AGENDA

AÇÕES DA SESA SOBRE HANSENÍASE

 

Sábado, 25/01/2020 - Busca ativa de casos novos no Centro de Referência em Dermatologia Dona Libânia (Rua Pedro I, 1033, Centro). A atividade deve ocorrer ao longo do dia.

Domingo, 26/01/2020 - Profissionais da saúde e voluntários realizarão ação educativa no Shopping Benfica no período da tarde.

Segunda-feira e Quarta-feira, 27 e 29 /01/2020 - Os profissionais de saúde farão visita na aldeia Munguba em Pacatuba. A atividade deve ocorrer ao longo dos dias.

Terça-feira e Quinta-feira, 28 e 30/01/2020 - Série de atividades educativas no Centro de Referência em Dermatologia Dona Libânia e no Hospital Universitário Walter Cantídio. As ações devem ocorrer ao longo dos dias.