PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Corpo de Bombeiros alerta sobre cuidados na hora de soltar fogos

Comprar em local credenciado aos Bombeiros, ler as instruções e não manusear os fogos alcoolizado são algumas das orientações para evitar acidentes

13:11 | 27/12/2019
Os galpões estavam com capacidade máxima
Os galpões estavam com capacidade máxima (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros )

Em pelo menos em duas datas específicas do ano a queima de fogos de artifício se torna mais comum. No Brasil, o tradicional período junino e as festas de fim de ano são espaços para a queima desse tipo de explosivo. Comprar os fogos em lugar certificado pode garantir segurança para que a comemoração não termine em acidente.

Em entrevista à Rádio O POVO CBN, o tenente Coronel Wagner Maia, do Corpo de Bombeiros do Ceará, alertou para a obtenção e manuseio irregular desses produtos. "A recomendação que o Corpo de Bombeiros faz é justamente que a população não adquira esse material em local que não esteja credenciado. Existem, em todo o Estado, 12 lojas que são certificadas pela corporação para fazer essa venda", afirmou.

Dois exemplos dados pelo tenente são os estabelecimentos Casas de Fogos Caramuru e Fogos São João, que contam com lojas em Fortaleza. Adquirir o material em locais especializados garante um produto de qualidade, longe dos riscos que fogos de artifícios clandestinos podem apresentar.

"O manejo incorreto causa queimadura, perda de membros, incêndios. O clandestino não sabe onde e como (os fogos de artifício) foram feitos", conta Maia. Conforme ele, nas empresas certificadas, os funcionários explicam como o produto deve ser utilizado. Além disso, o transporte dos explosivos para essas casas especializadas é adequado e mantém as substâncias intactas.

"Lembre que estamos falando de explosivos, não se pode queimar esse material próximo à concentração de pessoas, hospitais ou rede elétrica. Se você tiver ingerido bebida alcoólica, não faça uso desse material", alerta o coronel. Parte dos acidentes registrados nesses períodos se refere às pessoas que manusearam os explosivos alcoolizadas.

Outra dica do tenente é a leitura das instruções do produto. Essa ação pode evitar erros trágicos. "Se você não tiver segurança ou não souber utilizar esse material, evite. Leia primeiro as instruções", indica.

Sobre a venda clandestina desses materiais em locais como semáforos, por exemplo, Maia contou ao O POVO que o Corpo de Bombeiros não é responsável por esse tipo de fiscalização.