PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Terreno do Edifício Andréa será unidade do Corpo de Bombeiros; Prefeitura fará desapropriação

Anúncio foi feito pelo prefeito Roberto Cláudio. Prefeitura fará desapropriação do terreno e o dinheiro será direcionado para os proprietários

Jéssika Sisnando
18:13 | 10/12/2019
Entrega da Medalha Dragão do Mar ao Corpo de Bombeiros (Foto: Jéssika Sisnando)
Entrega da Medalha Dragão do Mar ao Corpo de Bombeiros (Foto: Jéssika Sisnando)

Atualizada às 19h4min

O terreno do Edifício Andrea, que desabou no dia 15 de outubro, será sede de uma unidade do Corpo de Bombeiros. A informação é do prefeito Roberto Cláudio (PDT), que anunciou ainda ação de urbanização no entorno do espaço, no bairro Dionísio Torres. A Prefeitura deverá fazer a desapropriação do terreno e direcionar o pagamento para os proprietários.  Já o Governo do Estado será responsável pelo quartel. Ele e o governador Camilo Santana (PT) entregaram ao Corpo de Bombeiros a Medalha Dragão do Mar como forma de reconhecimento pelo resgate das vítimas do desabamento.  

"Anunciei com o governador uma ação conjunta, a gente vai isentar as dividas de IPTU passadas prévias desse equipamento para promover uma ação de desapropriação. E depois entregaremos o terreno desapropriado para o Governo do Estado, que anunciou um quartel do Corpo de Bombeiros", explica Roberto Cláudio.

O prefeito afirma que a área onde será construído o quartel é verticalizada e estava desassistida. O objetivo é que também seja feito um trabalho de urbanização no entorno. O gestor projetou que no começo de 2020 o terreno já esteja desapropriado para ser doado ao Governo do Estado. 

"Foi uma tragédia que comoveu a Cidade, que vidas foram perdidas e que muitas vidas foram resgatadas também. E que destacou um sentimento de solidariedade, fraternidade, que eu nunca tinha visto na Cidade, por inteiro", afirmou Roberto Cláudio. 

Bombeiro

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Holanda, falou sobre a solidariedade das pessoas e da homenagem que recebeu de uma das famílias. Segundo o oficial, a família havia perdido quatro pessoas no desabamento, mas uma quinta havia sobrevivido. As pessoas reuniram-se e mandaram fazer uma placa de agradecimento ao Corpo de Bombeiros, o que o comandante destacou como uma das maiores homenagens que a corporação poderia receber.

O oficial também citou a ação dos bombeiros da reserva remunerada e citou o caso de um subtenente, que estava na reserva há nove anos, mas que compareceu ao local do desabamento no primeiro dia e colocou-se à disposição. E citou também os bombeiros que ainda não haviam sido nomeados, mas que foram auxiliar no salvamento e resgate das vítimas. 

 

Com informações de Jéssika Sisnando