PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

A menina que desde os quatro anos é uma das vozes do Coral de Luz

Esther tem 15 anos e canta no Coral de Luz desde os quatro. Em uma das apresentações deste ano da 23ª edição do Natal de Luz, na Praça do Ferreira, ela vai reger o grupo de 130 crianças e adolescentes

21:48 | 14/11/2019

Desde os quatro anos, Esther Fontenele, 15, é uma das vozes do Coral de Luz. Atualmente, ela assume o cargo de solista do grupo e irá, pela primeira vez, reger uma das apresentações  da 23ª edição do Ceará Natal de Luz. Junto a 130 crianças e adolescentes de escolas públicas de Fortaleza, Esther se apresentará diariamente na Praça do Ferreira, entre os dias 21 de novembro e 23 de dezembro. O Coral de Luz é composto pela parceria entre o Coral Angelus e o coral da Associação Nossa Casa Mãe África. 

Filha do diretor musical Poty Fontenelle e da maestrina Socorro Raulino, Esther diz que mesmo já acostumada com o público,  ainda fica nervosa antes de se apresentar. A hereditariedade musical também não facilita a ansiedade em reger uma das apresentações do grupo. “Justamente por serem meus pais e também músicos, eles me cobram sempre em dobro”, ressalta. 

A relação com a música começou cedo. Aos cinco anos Esther costumava criar músicas para cantar durante as atividades do dia a dia. “Se eu fosse tomar banho, arrumar o cabelo, qualquer coisa assim, criava uma música para cada situação”, relembra.  Apesar da paixão, a estudante do primeiro ano do ensino médio diz que é difícil conciliar os ensaios do coral e a rotina de estudos. Ela sonha em cursar Medicina.

A adolescente contou ainda que se apresentar nesta época do ano envolve “um amor ao quadrado”, destacando o que sente pela música e pelo Natal. “Não importa o que aconteça, não importa minha idade ou onde eu estiver, o Coral de Luz sempre vai ser um marco enorme na minha vida”, completou.

CORAL DE LUZ

Poty Fontenelle, diretor musical do Natal de Luz, diz que a música é fundamental para levar a mensagem de que o Natal não deve se resumir aos presentes. O diretor ressaltou a importância de as pessoas refletirem sobre suas ações e de renovarem suas esperanças neste período. "O Coral é um elemento consolidado nas festividades de fim de ano do Estado. É impossível pensar no Natal em Fortaleza e não pensar no Coral de Luz”, declarou.

O coordenador administrativo da Associação Nossa Casa da Mãe África (Ancma), Carlos Veneranda, afirmou que a ansiedade das crianças para as apresentações é algo presente o ano inteiro. Ele comentou que a música e as demais atividades culturais fornecidas pela entidade mudam a perspectiva de vida da população do bairro Bom Jardim. “Trabalhamos para além da formação cultural, é a formação humana dessas crianças e desses adolescentes”, destacou o coordenador.