PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Escola de Saúde Pública promove ações na última semana do Outubro Rosa

Eventos buscam orientar sobre a importância do autocuidado, da autoestima e da prevenção no combate ao câncer de mama

17:21 | 25/10/2019
Informações sobre o evento da Escola de Saúde Pública
Informações sobre o evento da Escola de Saúde Pública (Foto: REPRODUÇÃO)

A Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE) irá promover, na última semana do mês, mais duas ações da campanha “Outubro Rosa: Autocuidado e Empoderamento Social”, que buscam informar as mulheres sobre a importância do autoexame, da prevenção e do cuidado com a autoestima no enfrentamento da doença. Os eventos ocorrerão domingo, 27, e terça-feira, 29.

AÇÕES

No domingo, dia 27, ocorrerá uma caminhada de sensibilização em relação à prevenção do câncer de mama. A concentração terá início às 16 horas no aterro da praia de Iracema. A organização da ação ocorre em parceria com o Programa de Assistência à Mulher Mastectomizada (Proama).

A sequência de eventos acaba na terça-feira, quando ocorrerá o simpósio “Ressignificando o Câncer de Mama”. O evento vai ser na sede da ESP/CE. Além de falar sobre a doença e sua prevenção, profissionais da medicina, enfermagem e psicologia vão abordar temas como os cuidados com os cabelos e unhas e ainda a sexualidade da mulher em tratamento.

O CÂNCER QUE MAIS MATA MULHERES NO MUNDO

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que entre 2018 e 2019 serão registrados 59.700 novos casos de câncer de mama. No Ceará, a estimativa é de 2.200 novos casos por ano. A fisioterapeuta e coordenadora do Proama, Cléo Oliveira, destaca a importância do diagnóstico precoce como forma de aumentar as chances de “sobrevida após a doença”. Para ela, “os sinais são silenciosos por muitos anos ” e isso dificulta o tratamento.

Cléo Oliveira comenta sobre a importância do toque. “A mulher precisa se tocar, procurar em si mesma e estar atenta a qualquer anomalia. Se desconfiar de algo, deve ir procurar atendimento especializado”. Ela reforçou que as principais anormalidades que indicam um possível tumor são uma mama muito maior do que a outra, inversão do mamilo, presença de secreção amarronzada nas mamas, presença de manchas laranjas ou descoloração das aréolas dos mamilos.

Apesar das dificuldades e fatores de risco, o câncer de mama é curável. Cléo Oliveira afirma que “o apoio familiar é importantíssimo para a superação”, por isso, para ela, um dos focos do tratamento deve abranger também o bem estar psicológico da mulher. “A mulher tem que se informar, buscar conhecimento, grupos de apoios e se empoderar”. O diagnóstico positivo para a doença não pode ser visto como “um atestado de morte, o diagnóstico é só o começo”, completou.

Cléo Oliveira faz parte do centro de extensão em saúde da Escola de Saúde Pública do Ceará e reforça que os cuidados com o câncer de mama devem se estender o ano todo e lembra que “ele também acontece em homens, é apenas 1% dos casos mas acontece”.