PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

Trecho da avenida Abolição ficará interditado por três meses

Os trabalhos visam uma reforma no sistema de drenagem da via, que será interligado com o da avenida Beira Mar

14:47 | 23/10/2019
A obra deve durar três meses e contará com serviços de drenagem e pavimentação.
A obra deve durar três meses e contará com serviços de drenagem e pavimentação. (Foto: Leonardo Maia/Especial para O POVO)

Obra de drenagem da avenida Abolição, entre as ruas José Vilar e Barão de Studart, começou na manhã desta quarta-feira, 23. Executada pela Secretaria Municipal da Infraestrutura (Seinf), a obra deve durar três meses e contará com serviços de drenagem e pavimentação.

O POVO Online esteve no local na manhã de hoje e, apesar do alto fluxo de veículos, verificou que o trânsito estava fluindo normalmente. Uma das três faixas está bloqueada durante o andamento da obra.

De acordo com a secretária municipal da Infraestrutura, Manuela Nogueira, o planejamento para essa obra levou em conta outras experiências da secretaria na Capital e prioriza o menor impacto para pessoas que passam pela região.

Liduina Morais, gerente de uma padaria próxima ao local, acredita que a obra solucionará o problema que existe no local. “É algo que vai nos atrapalhar de certa forma, mas após a conclusão ficará bem melhor. Tudo que for para melhorar é bem-vindo”, assegura. A comerciante contou que não foi comunicada acerca da reforma e se surpreendeu com o início da obra nesta manhã.

A obra também causou transtorno para passageiros de transporte coletivo. Os ônibus que circulam na região não tiveram rota alterada, mas não param na faixa à esquerda, que está isolada por cones. “A gente fica no meio do sol e tem que sair correndo quando o ônibus estiver vindo”, reclamou a depiladora Francimar Santos, 40.

Manuela Nogueira explicou que a obra está inserida na requalificação da avenida Beira Mar. A manutenção em vias secundárias é fundamental para que a via não passe por novos alagamentos, de acordo com a gestora. “É preciso analisar a declividade e a inclinação de cada rua e como ela impacta na região”, pondera.

Nesse trecho, será construída uma estrutura para que a água da chuva escorra de forma subterrânea e não superficialmente, como acontece hoje. “Em vias que recebem uma grande quantidade de água de outras ruas é necessário que exista uma tubulação enterrada para que o volume de água seja absorvida de forma mais eficiente”, argumenta.

O trecho em reforma na avenida é o que se chama de “ponto baixo”: região onde várias ruas com elevada inclinação, como a Barão de Studart e a José Vilar, desembocam e causam um grande acúmulo de água. “Se não fizer essa correção agora, depois vai ter que quebrar a Beira Mar novamente”, pontua a secretária.

Com operação de tráfego da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), o sentido Leste-Oeste da av. Abolição/Historiador Raimundo Girão terá bloqueio parcial no trecho entre a rua José Vilar e Barão de Studart, no Meireles. Com o estreitamento da via, duas faixas ficarão livres para a circulação de veículos, enquanto as outras duas permanecem bloqueadas.

A AMC sugere que durante essa etapa de obra os condutores procurem utilizar as ruas Tenente Benévolo e Deputado Moreira da Rocha como rotas alternativas para o deslocamento Mucuripe/Centro.