PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

HGF pede doação de leite materno e frascos de vidros para armazenar o material

O leite deve alimentar 40 bebês internados na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal. Hospital está operando com estoque reduzido

16:49 | 17/10/2019
Hospital Geral de Fortaleza é uma das principais unidades estaduais de saúde do Ceará
Hospital Geral de Fortaleza é uma das principais unidades estaduais de saúde do Ceará (Foto: MAURI MELO/O POVO)

O Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) recebe doações seja de frascos de vidro ou de leite materno. No caso dos frascos, basta leva-los à unidade de segunda a sexta-feira, das 7 horas às 17 horas.

O HGF ressalta que os frascos precisam ser de vidros e com tampas de plástico, pois são materiais capazes de suportar o processo de esterilização sem sofrer danos. O frasco também precisa ser rosqueado, pois isso reduz as chances de vazamento na armazenação do leite.

Para doar o leite materno, a mãe pode ir até o HGF e se dirigir ao BLH durante o horário de funcionamento ou ligar para (85) 3101.3335 e solicitar a coleta do leite materno na própria residência. O HGF tem um veículo que recolhe o leite todos os dias da semana, em dois turnos. As equipes levam às mães um kit doação para realizar a ordenha de forma correta. Há também a realização de orientação e tira-dúvidas sobre a doação e aleitamento materno.

Oferta e demanda

O Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) possui uma demanda de cerca 45 litros de leite materno por semana. A arrecadação do banco é de apenas 100 litros por mês. “Não atende a demanda da Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal, hoje a gente tem essa demanda de 45 litros por semana, a gente distribui esse valor por mês”, destacou a Nutricionista do BLH, Leyshir de Carvalho.

Cerca de 40 bebês internados na Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal (Utin) do HGF dependem desse leite para sobreviver. O aleitamento materno é a principal fonte de nutrição de recém nascidos, sendo o único alimento recomendado para eles até o sexto mês de vida. Os benefícios vão desde a infância até a fase adulta. De acordo com estudos do Ministério da Saúde (MS), a amamentação está associada a um melhor desempenho em testes de inteligência e um melhor desenvolvimento físico e neuromotor. A criança que recebeu o aleitamento de forma correta também tem menos chance de desenvolver diabetes tipos 1 e 2.

Para os bebês que estão internados o leite materno é ainda mais importante porque, ao serem alimentados com ele, “apresentam um menor índice de inanição, reagem melhor à terapia intensiva, ganham peso de forma mais adequada e têm melhores parâmetros nutricionais”, informou Leyshir de Carvalho. O Banco de Leite do HGF opera com um estoque reduzido de leite, a situação é de alerta. A demanda do hospital está além do que o banco é capaz de suprir.

“Os bancos de leites se sustentam por meio da solidariedade. É um ato de amor, de solidariedade que beneficia a todos”, destaca, Leyshir, responsável pelo processamento do leite do BLH do Hospital Geral de Fortaleza. Ela faz um apelo para doações e afirma que não existe nenhuma outra fórmula ou método capaz de substituir a amamentação e leite materno em todas as suas características e benefícios, tanto para a criança quanto para a mulher.

Os benefícios para a mãe variam, mas o Ministério da Saúde ressalta que para cada ano que a mulher amamenta a chance de desenvolver câncer de mama diminui em 6%. Por isso a nutricionista Leyshir incentiva tanto a amamentação quanto a doação. “A produção de leite é regulada pelo esvaziamento da mama”, ou seja, quanto mais a mãe amamentar, mais ela irá produzir leite, podendo então doar o excedente, “não vai faltar para o seu filho, a doação é do você produz a mais e vai salvar vidas”, destaca Leyshir de Carvalho.