PUBLICIDADE
Fortaleza
Noticia

"O mais difícil não foi a mulher chegar em destaque, mas lidar no dia a dia com o machismo"

Cantora Maria Clara foi a entrevistada do Conversa Ao Vivo desta quarta-feira, 14, quando contou sobre as dificuldades enfrentadas pelas mulheres no sertanejo universitário

09:47 | 15/08/2019
Cantora Maria Clara foi a entrevistada do Conversa Ao Vivo, quando contou sobre as dificuldades enfrentadas pelas mulheres no sertanejo universitário
Cantora Maria Clara foi a entrevistada do Conversa Ao Vivo, quando contou sobre as dificuldades enfrentadas pelas mulheres no sertanejo universitário (Foto: Deisa Garcêz / Especial para O POVO)

Dona de voz marcante, a cantora Maria Clara está divulgando seu trabalho no sertanejo universitário pelo Nordeste. Nascida em Ferreiros, no interior de Pernambuco, a artista foi a entrevistada do Conversa Ao Vivo desta quarta-feira, 14, quando contou sobre carreira, apoio da família e importância das redes sociais. Na oportunidade, também manifestou as dificuldades enfrentadas pela mulher no meio musical.

A pernambucana realizou apresentação na noite de quarta-feira com Mara Pavannelly e Jarli Almeida, no show “Elas comandam 2”, no Barril West, na Maraponga. Pertencente ao movimento carinhosamente intitulado de “feminejo”, Maria Clara diz que mesmo obtendo projeções importantes nos últimos anos, apesar das dificuldades para conseguir sucesso na música, as cantoras teriam de lidar ainda com um problema social: o machismo.

“Eu acho que o meio da música em si é muito masculino, é formado por músicos homens. Grande parte do meio musical é formado por homens, então acho que o mais difícil não foi a mulher chegar em destaque, porque a gente tem Simone e Simaria, Marília Mendonça, que abriram muitas portas, mas lidar no dia a dia com o machismo, com alguns preconceitos. É muito difícil”, lamenta a jovem de 19 anos.

“Mas assim, levo tudo numa boa. Eu pago de doida e pronto, finjo que isso (o machismo) nem existe e ajo naturalmente. Mas também não deixo ninguém vir com machismo pro meu lado, não, porque não tem vez”, completou.

Ativa nas redes sociais, ela tem mais 620 mil seguidores no Instagram, dispondo de vídeos que já alcançaram mais de três milhões de visualizações no Youtube. O sucesso virtual também é refletido nos palcos. Em cerca de cinco anos de carreira, já gravou com artistas nacionalmente conhecidos, como a já citada Marília Mendonça, Wesley Safadão, Gabriel Diniz, Maiara e Maraísa e Naiara Azevedo.

De acordo com Maria Clara, graças à internet, “hoje tudo é possível”. “Temos só que saber usá-la, porque às vezes ela pode ser uma arma também. Mas assim, ela torna coisas impossíveis se tornarem possíveis. Então acho que uma rede social bem movimentada tem uma chance muito grande de fazer a pessoa chegar e crescer na vida”, avalia.

Confira entrevista completa de Maria Clara no programa Conversa Ao Vivo