PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Terreno da Santa Casa de Fortaleza vai a leilão para pagamento de dívida trabalhista

Localizado na avenida João Pessoa, o espaço tem 37,7 mil metros quadrados, onde há o funcionamento do hospital psiquiátrico São Vicente de Paula e da Igreja Sagrado Coração de Jesus

22:55 | 01/08/2019

Terreno pertencente à Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza deve ser leiloado nos próximos dias. O espaço, localizado na avenida João Pessoa, na Parangaba, encontra-se em alienação judicial por iniciativa particular e pessoas interessadas já podem procurar diretamente os leiloeiros para apresentar propostas. A venda ocorre para garantir o pagamento de cerca de R$ 21 milhões fruto de dívidas trabalhistas da entidade durante os anos 1980 e 1990.

Ao todo, quatro leiloeiros estão cadastrados na Justiça do Trabalho do Ceará para cuidar do caso: Graça Medeiros; Fernando Montenegro; Silvio César; e Willian Araújo.

O espaço possui 37,7 mil metros quadrados, onde há o funcionamento do hospital psiquiátrico São Vicente de Paula e da Igreja Sagrado Coração de Jesus, que medem juntos quatro mil metros quadrados.

De acordo com o coordenador dos leilões na Justiça do Trabalho, juiz André Barreto, outras tentativas de venda do imóvel “sempre esbarraram no inconveniente de desalojar doentes e de deixar centenas de pessoas sem atendimento médico”. Desta vez, porém, foi feita negociação para que os locais do hospital e da igreja ficassem de fora do leilão.

“Fizemos um trabalho descritivo, uma reavaliação, excluindo essas áreas cuja expropriação é inviável por conta do hospital e da igreja existentes no local”, ressalta o magistrado.

Segundo informa o Tribunal Regional do Trabalho (TRT), qualquer pessoa ou empresa pode participar do leilão, cujo lance inicial será de 70% do valor da avaliação, isto é, cerca de R$ 17,9 milhões. Os interessados podem adquirir o imóvel a partir de uma entrada de 25% e parcelar o restante do pagamento em até 30 meses. Para mais informações basta acessar os sites dos leiloeiros.

O processo começou em 1992, quando o Sindsaúde Ceará ingressou ação trabalhista reivindicando que a Santa Casa pagasse funcionários as diferenças salariais decorrentes do Plano Bresser, lançado em 1987. Esse plano econômico congelou preços, aluguéis e também salários. O caso já tramitou por todas as instâncias e agora encontra-se em fase de execução.