PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Polícia captura mais de dez pessoas suspeitas de envolvimento em homicídios no Ceará

Os detalhes das operações foram divulgados nesta quinta-feira, 4, em coletiva de imprensa na sede do DHPP

22:06 | 04/07/2019
Os detalhes da operações foram divulgados na sede do Departamento de Homicídios e proteção à pessoa.
Os detalhes da operações foram divulgados na sede do Departamento de Homicídios e proteção à pessoa.(Foto: Reprodução/Google Maps)

Operações realizadas por profissionais do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) resultaram na prisão de 12 de pessoas, sendo que 11 delas são suspeitas de envolvimento com homicídios no Estado. Os detalhes das operações foram divulgados na tarde desta quinta-feira, 4, em coletiva de imprensa na sede do órgão.

"Crânio"

Equipes da Polícia Militar (PM) em conjunto com agentes do DHPP realizaram buscas no dia 1º de julho, no intuito de capturar o responsável por um assassinato no bairro Parque Dois Irmãos, na comunidade da Rosalina.

Conforme George Monteiro, diretor adjunto do DHPP, pouco tempo após o crime, os profissionais da segurança pública prenderam em flagrante Ednardo Duarte dos Santos Junior, de 27 anos, popularmente chamado de "Crânio", sob suspeita de ter cometido o crime. Até a publicação desta matéria a vítima ainda não havia sido identificada. Ela encontra-se na sede da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce).

"Peruca"

Paralelo a isso, no dia 2 de julho, homem identificado como Anderson Barbosa Felipe, de 24 anos, mais conhecido como "Peruca", foi preso. Contra ele havia mandado de prisão em aberto por homicídio. Ele é natural do estado do Amazonas, mas foi detido no bairro Rodolfo Teófilo, na Capital.

"Rio"

A Polícia realizou diligências na semana passada para capturar Amaro Barbosa de Melo Júnior, de 25 anos. Segundo a titular da 1ª Delegacia do DHPP, Evna América, o homem, que é conhecido pela alcunha de "Rio", é integrante de uma facção criminosa com atuação no Serviluz. Contra ele havia mandado de prisão em aberto por roubo no ano de 2014.

Periques

Continuando as buscas, na última sexta-feira, 29, a Polícia prendeu Periques da Silva Costa, de 40 anos, no bairro Vicente Pinzon. O indivíduo foi capturado em flagrante por tráfico de drogas. Ele estava em posse de cocaína, dinheiro, um celular e um automóvel, conforme informou Evna América.

"Nego" ou "Índio"

Por fim, os agentes de segurança efetuaram a prisão de Brendo de Almeida Ferreira, de 19 anos, popularmente chamado de "Nego" ou "Índio". Ele é suspeito pelo assassinato do mestre de capoeira Jefferson Viana da Silva, de 45 anos, mais conhecido como Envergado, em 15 dezembro do ano passado.

O crime aconteceu na rua Eliezer Levi, no bairro Serviluz. À época, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) havia informado que a vítima vivia em situação de rua. Evna América informou que mais dois adolescentes participaram do crime e já foram identificados. Ela ressaltou que Nego tinha "intensa atuação criminosa" no Cais do Porto, mais precisamente na Praia do Titanzinho.

A Policia informou que Brendo de Almeida nega a autoria do crime e que há dificuldade nas investigações, já que a comunidade tem medo de represálias por colaborar com o trabalho dos agentes de segurança.

Caso Maria Thaisa

Em 22 dezembro de 2018 duas irmãs faziam compras roupas em uma feira na rua Senador Robert Kennedy, no bairro Barra do Ceará, em Fortaleza, quando foram capturadas e torturadas por pessoas em um carro. Uma delas foi morta com mais de 30 facadas.

Cinco indivíduos são apontados como responsáveis pelo crime, sendo que quatro estão presos e um foragido. A motivação para o delito, conforme Rodrigo Jataí, titular da 8ª delegacia do DHPP, seria por conta de as mulheres morarem em um bairro que era dominado por uma facção criminosa rival da que atuava na Barra do Ceará.

As vítimas foram colocadas em um carro e levadas para um horta, onde foram agredidas. Elas tiveram cabelos e sobrancelhas cortados pelos criminosos. À época, um vídeo com a tortura circulou nas redes sociais.

Em seguida, elas foram levadas para o Parque Leblon, em Caucaia, onde Maria Thaisa, de 18 anos, foi retirada do carro e morta a golpes de faca. Os agressores colocaram as mulheres de volta no carro e transportaram até a Barra do Ceará, onde o corpo da vítima fatal foi deixado. Um quarteirão depois a sobrevivente foi solta.

As pessoas que foram capturadas apontadas como responsáveis pelo crime são: Maria Vladina Carneiro Rodrigues, de 19 anos, mais conhecida como "Gueixinha", e Ediclecia Ferreira da Silva, de 19 anos, chamada de "Clessinha". As duas são apontadas pela Polícia como as responsáveis pela execução de Thaisa.

Cristiane Gomes da Silva, 39 anos, foi indicada pela investigação como a "chefe" da ação criminosa. Conforme Rodrigo Jataí, ela teria filmado as agressões e ficava ao telefone recebendo informação, além de determinar a execução das vítimas. A suspeita foi presa em flagrante por tráfico drogas em Canindé.

Os outros dois indivíduos que teriam envolvimento são: Armando almeida da Silva, 21 anos, o "Queijo". Ele seria o motorista e proprietário do veículo que transportou as irmãs. Por fim, o único que encontra-se foragido é Alisson Rodrigues de Almeida, de 20 anos, conhecido como "Bruxo".

"Depois de (Alisson) cumprir prisão temporária foi pedida a prorrogação, mas o poder Judiciário entendeu que naquele momento não seria viável", disse Rodrigo Jataí sobre a situação do foragido. Todos os suspeitos de envolvimento no crime foram indiciados por homicídio duplamente qualificado e organização criminosa.

"Dodô"

Francisco Helder Moreno de Souza, mais conhecido como "Dodô", foi preso em 27 de junho deste ano, sob suspeito de liderar um linchamento público contra Edivan Dias Leite, no dia 3 de fevereiro de 2019, no Parque Universitário, bairro Pici. Segundo Renato Almeida, titular da 6ª Delegacia do DHPP, a vítima era usuária de drogas e já havia sido companheiro da mãe do agressor.

O crime seria motivado por supostas agressões a mãe de Francisco Helder. Após o linchamento, o corpo de Edivan Dias foi deixado em um canal nas proximidades da região. Ele chegou a ser levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Breno

Por fim, a DHPP prendeu Adailton Cardoso da Cunha, popularmente chamado de Breno, suspeito de assassinar a facadas de Emanuel Lima de Carvalho, em 28 de abril de 2019.

Os dois homens estavam em um bar na rua Clara Nunes. Conforme a Polícia, o crime aconteceu após uma discussão por conta de um celular. Breno foi capturado em um apartamento na Alameda das palmeiras, em 1º de julho. Aos agentes de segurança, ele confessou o crime, mas não as motivações.

Israel Gomes