PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Operação da Polícia Civil confisca mais de R$ 4 milhões em bens; pai, mãe e filha estão entre presos

Houve o sequestro de oito veículos, oito empresas, um apartamento, um terreno situado em um condomínio de luxo, além de apreensão de documentos e uma carta de crédito no valor de R$ 400 mil

12:06 | 13/06/2019

Deflagrada nessa quarta-feira, 12, a segunda fase da Operação Labirinto, da Polícia Civil do Estado do Ceará, resultou no confisco de mais de R$ 4 milhões em bens adquiridos por meio de infrações penais. A operação aconteceu em Fortaleza, Baturité, Capistrano e Itapiúna. 

Quatro pessoas foram presas e cinco mandados de busca de apreensão foram cumpridos. Pai, mãe e filha são três dos presos: Geraldo Botão Fernandes, 52, Maria Célia Ferreira Fernandes, 50, e Auricélia Ferreira Fernandes, 30. Os três foram presos em Fortaleza. Eles são, respectivamente, sogro, sogra e cunhada de Carlos Odeon Bandeira, 35, conhecido como "Jow", que é apontado como chefe de facção atuante em todo o Sertão Central cearense. Ele foi preso ainda no ano passado. 

Já em Itapiúna, foi preso Helano de França Ramos, 35, que já responde a um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO). Helano servia de "laranja" para Carlos Odeon. 

 

Entre os itens sequestrados, três Toyota Hilux, um Volkswagen Golf, um Fiat Uno, um Fiat Toro, uma motocicleta Honda CBR-500 e um caminhão Volkswagen VW15. Além dos veículos, ainda foram sequestrados cinco lojas de confecção em Fortaleza, um apartamento, um lote de terreno no bairro Maraponga e duas empresas de distribuição de gás em Capistrano e Itapiúna.

Detalhes da operação foram divulgados nesta quinta-feira, 13, em coletiva de imprensa.

Em janeiro de 2018 começaram os levantamentos policiais com foco nas negociações de entorpecentes que aconteciam nas cidades de Quixeramobim, Milhã e Senador Pompeu.

Primeira fase

A 1ª fase da Operação Labirinto teve como objetivo cumprir mandados de busca e apreensão e de prisão em desfavor de integrantes de uma organização criminosa com atuação em municípios do Sertão Central. Na época, foram cumpridos mais de 80 mandados de prisão e 53 mandados de busca e apreensão. Ao todo, no âmbito da Labirinto foram indiciadas 116 pessoas. 

Lucas Braga