PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Mortalidade materna cai 61,26% em seis anos em Fortaleza

Taxa de mortalidade infantil da Capital também apresentou redução e é menor do que a média brasileira

11:00 | 16/05/2019
Prefeito Roberto Cláudio apresenta os dados para a imprensa nesta quinta-feira, 16
Prefeito Roberto Cláudio apresenta os dados para a imprensa nesta quinta-feira, 16(Foto: Rubens Rodrigues/O POVO)

Fortaleza teve redução no número de mortes de gestantes e de crianças com menos de um ano. De acordo com dados apresentados pela Prefeitura nesta quinta-feira, 16, a taxa de mortalidade materna da Capital é de 25,1 a cada 100 mil. Se comparado ao número de casos do ano de 2012, a mortalidade diminuiu 61,26%. Em 2018, os índices de mortalidade infantil também tiveram redução. Foram 11,3 recém-nascidos mortos para cada mil nascidos vivos contra 13,5 em 2017.

A Prefeitura e a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) atribuem os avanços aos investimentos em saúde primária, estímulo do início precoce do pré-natal e o acompanhamento mais detalhado da gestante. “Isso não é produto só da gestão, é produto de um grande trabalho na Cidade, uma consciência nova das mulheres”, frisa o prefeito Roberto Cláudio. Segundo ele, as gestantes têm procurado cada vez mais acompanhar a saúde durante a gravidez.

A secretária da Saúde, Joana Maciel, explica que o dado pode ser usado também para medir a qualidade da rede hospitalar de Fortaleza. “Os dados vão para além do binômio mãe e filho. Eles refletem, na verdade, a organização da gestante e o acesso aos serviços de saúde”, diz.

Em comparação com o restante dos estados do Brasil, o Ceará é o 11º em relação à taxa de mortalidade infantil, com 13,8 mortes a cada mil nascimentos. Com 11,3, Fortaleza tem taxa menor do que o Estado e também menor do que a taxa brasileira (12,8 por mil nascimentos).  

*Com informações do repórter Rubens Rodrigues

Redação O POVO Online