PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Famílias desabrigadas após inundação são alojadas em escola e aulas são canceladas

Rua continua alagada mesmo depois da Defesa Civil construir vala para escoamento da água

12:52 | 27/04/2019
Pessoas desabrigadas da Sabiaguaba morando em Escola Municipal
Pessoas desabrigadas da Sabiaguaba morando em Escola Municipal(Foto: Deísa Garcêz / Especial para O Povo)

A rua Martins Camelo, no bairro Sabiaguaba, está há mais de uma semana inundada com a água acumulada das chuvas. O volume chegou a invadir casas e impedir a circulação de residentes da área. Com isso, cerca de 12 famílias estão abrigadas provisoriamente na Escola Municipal Manuel Eduardo Siqueira Campos desde sábado, 20. Apesar de receber colchonetes e cestas básicas da Defesa Civil, além de ajuda da comunidade, os moradores seguem aflitos por não ter perspectiva de quando poderão voltar para suas residências.

A família de Eduardo Campos Bezerra, 32, é uma das alojadas na escola. A casa onde mora com a esposa e os quatro filhos menores de idade fica na rua Martins Camelo, uma das mais afetadas pelas enchentes. O pedreiro está sem emprego e não tem condições de pagar aluguel em uma área afastada. Sua companheira, que não quis se identificar, diz que não pretende ficar muito tempo na escola, apesar do bom tratamento que recebeu. "Não tem nada como a casa da gente", afirma. No entanto, a mulher ainda não sabe para onde vai.

De acordo com a Defesa Civil, desde o início da semana uma vala está sendo construída para desobstruir a rua alagada. O escoamento da água ocorre lentamente e a rua ainda está intransitável. Para o órgão, a vala deve resolver a situação caso não haja “incidência de novas chuvas de maior intensidade”. A esposa de Eduardo explica que a água está sendo drenada para uma mata atrás da escola, o que está causando o aumento do número de insetos no local. Isso faz com que as pessoas sejam obrigadas a colocar os colchonetes em cima das cadeiras e mesas da escola como forma de tentar se livrar dos bichos. "Até o fim dessa semana achavam que ia dar pra gente voltar, mas tá é pior", disse.

Por causa da ocupação das salas, as aulas estão suspensas. Antes de as famílias serem alojadas na escola, os alunos e funcionários já tinham problemas para chegar ao local, já que as ruas próximas estavam alagadas. A Secretaria Municipal da Educação (SME) afirma que as aulas devem voltar na próxima semana. Cerca de 780 alunos são matriculados na escola, das creches ao 9º ano. As aulas serão repostas sem prejuízo, disse a pasta.

Alexia Vieira