PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Prévia da inflação de Fortaleza em abril sobe e chega a quase 1%, segundo IBGE

O grupo de Habitação contribuiu para o aumento do índice na variação mensal de 0,99% na capital cearense

17:42 | 25/04/2019
Variação de 0,47% na taxa de água e esgoto é consequência do reajuste de 11,31% na capital cearense
Variação de 0,47% na taxa de água e esgoto é consequência do reajuste de 11,31% na capital cearense(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O grupo de Habitação foi uma das categorias pesquisadas que contribuiu para o aumento do índice da prévia de inflação em Fortaleza (0,99%) no mês de abril. A variação de 0,47% na taxa de água e esgoto é consequência do reajuste de 11,31% na capital cearense, a partir de 24 de Março, segundo dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) divulgado hoje, 25, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Conforme o levantamento pelo IBGE, Fortaleza teve a terceira maior variação mensal nacional em abril e a segunda da região Nordeste, ficando atrás somente de Salvador (1,06%) e Porto Alegre (1,27%). Na comparação com março (0,92%), a capital cearense registrou um crescimento de 0,07 pontos percentual (p.p).

O aumento do índice da prévia da inflação em Fortaleza no mês de abril também foi ocasionado pelos grupos de saúde e cuidados pessoais (1,91%), alimentação e bebidas (1,02%), transportes (0,98%), artigos de residência (0,89%), despesas pessoais (0,08%), educação (0,05%) e comunicação (0,02%). A única categoria que teve deflação foi o de vestuário (-0,29%).

A região de Fortaleza teve o segundo menor peso regional (3,49%) em abril, ficando atrás somente de Brasília (3,46%). Além disso, a variação acumulada na capital cearense no ano é de 2,52% e dos últimos doze meses foram de 4,67%.

Nacional

O IPCA-15 do Brasil variou 0,72% em abril, mostrando aceleração em relação à taxa de 0,54% de março. De acordo com o IBGE, a variação é a maior para o mês citado desde 2015, quando o índice foi de 1,07%. No acumulado do ano teve alta de 1,91% e, em 12 meses, de 4,71%, resultado acima dos 4,18% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

Em abril de 2018, a taxa foi de 0,21%.

David Moura