PUBLICIDADE
Fortaleza
NOTÍCIA

Campanha oferece exames e alerta sobre o cuidado com a voz

Rouquidão persistente por mais de duas semanas é sinal de alerta, dizem os médicos

00:00 | 16/04/2019
Tiago Zan e o paciente Germano Vital durante atendimento
Tiago Zan e o paciente Germano Vital durante atendimento(Foto: Mauri Melo/Mauri Melo)

O médico otorrinolaringologista Tiago Zan é assertivo: rouquidão persistente por mais de duas semanas merece cautela. “Pode ser algum tipo de machucado na prega vocal. Em casos em que o paciente tem um mau hábito como tabagismo ou consumo excessivo de bebida alcoólica, aumentam as chances de ser uma doença mais grave como um câncer”, alerta. 

O médico alerta para o crescimento das doenças ligadas ao aparelho vocal.

Zan é um dos seis otorrinos que fazem parte, em Fortaleza, da 21ª edição da Campanha Nacional da Voz, que segue até essa quinta-feira, 18, com uma série de atividades gratuitas para alertar sobre os cuidados urgentes com a voz. Duas das ferramentas para o diagnóstico de doenças, exames de laringoscopias e estroboscopias (exame do funcionamento das cordas vocais por meio de vídeo), serão oferecidos gratuitamente, mediante triagem. A seleção dos pacientes termina nesta quarta, 17, no Porto Iracema das Artes.

A ideia é dar acesso ao exame especializado a pessoas sem plano de saúde.

Além da rouquidão persistente, outros sinais devem servir de alerta: falha vocal, alteração na deglutição, como dores para engolir, sensação de entalo, pigarro e perda de peso.

Cantora desde os 7 anos, a professora de canto Camila Souza, 30, fez o exame e recebeu o diagnóstico, “graças a Deus”, segundo diz, que estava tudo bem com seu instrumento de trabalho. “Vim para prevenir, porque trabalho com a minha voz”, conta. Ela, uma das vocalistas da banda católica Instrumento de Louvor, é também professora de canto e de musicalização infantil. No atendimento, realizou um trabalho específico para avaliar como estava o desempenho por meio de exercícios vocais - semelhantes ao que ela realiza com os alunos.

Germano Vital, 40, componente da mesma banda, canta há 20 anos e sabe ser necessário tomar cuidado com a voz. “O cantor sem voz não tem como realizar aquilo que ele mais ama fazer”, lembra.

Cuidados

Fonoaudióloga da Unimed Fortaleza, Aniella Holanda afirma que boa parte das pessoas não se preocupa em consultar um profissional da voz de forma preventiva. ”A voz é automática. Acordamos e dormimos falando, sem perceber. Assim, é comum que as pessoas procurem o profissional apenas em casos de doença. Mas, é importante salientar que o fonoaudiólogo pode ajudar a evitar várias patologias, principalmente, em pessoas que utilizam a voz profissionalmente, como: professores, radialistas, jornalistas, cantores e advogados”, explica.

Outro fator que contribui bastante para a saúde da voz é a alimentação. “É preciso tomar cuidado com doenças que podem atingir o trato vocal, como o refluxo gastroesofágico, muito comum nos dias de hoje. Além disso, as alergias e resfriados também deve ser tratados como sinal de alerta”, diz Holanda.

Tumor de laringe

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tumor de laringe é um dos mais comuns entre os que atingem a região da cabeça e pescoço e representa cerca de 25% dos casos de tumores malignos. Quando diagnosticado precocemente, tem possibilidade de cura muito alta - entre 90 e 95%.

Caso o paciente apresente sintomas como rouquidão – que é o mais comum – seguida por dor de garganta, sensação de corpo estranho na garganta, dor ou dificuldade para engolir, deve procurar um médico para identificar o motivo, definir o tratamento adequado e resolver a questão antes que algo de mais grave se desenvolva.

ANGÉLICA FEITOSA