PUBLICIDADE
Notícias
Pedofilia

Delegada alerta sobre importância em orientar crianças sobre perigos nas redes sociais

Pai se passou por filho em troca de mensagens e espancou militar que fez abordagem pedófila

22:22 | 19/02/2019

Depois do caso desta terça-feira, 19, em que um pai se passou pelo filho em uma troca de mensagens com um suposto pedófilo, a titular da Delegacia de Combate a Exploração da Criança e do Adolescente (Dececa), delegada Aline Moreira, alertou sobre a importância dos pais orientarem os filhos no uso das redes sociais.

"O principal é que os pais conversem com os filhos e orientem sobre os perigos que circulam na Internet. Verificar os aparelhos eletrônicos que a Internet dispõe e com quem a criança está se comunicando. Com quem está interagindo nas redes sociais", relata a delegada.

Para a titular da Dececa, os pais podem fazer uma triagem de rede social de acordo com a idade da criança e definir qual a melhor alternativa. Além de vincular o email cadastrado ao email do pai da criança.

"Às vezes, os pais se iludem porque os filhos estão em casa e o filho mesmo estando em casa está em contato virtual com outras pessoas. A história de não conversar com estranho também deve se dar em meios virtuais", explica.

O filho deve ser orientado a ter contato apenas com amigos da escola, familiares e pessoas conhecidas.

O caso 

Um militar da reserva remunerada, suspeito de pedofilia, foi espancado pelo pai da criança após comparecer a encontro na casa do menino. O caso foi registrado nesta terça-feira, 19, em Fortaleza.

O POVO Online apurou com fonte ligada à família que o homem conversava com o menino, de 12 anos, por meio de redes sociais desde o último fim de semana. Após pedir o número de WhatsApp da criança, o homem chegou a enviar imagens de pedofilia para o garoto com objetivo de tentar convencê-lo de que a ação pornográfica do vídeo era comum.

O Povo