PUBLICIDADE
Notícias
JULGAMENTO

Acusado de matar taxista no Mondubim é condenado a 14 anos de prisão

O homicídio ocorreu dentro do próprio táxi em que a vítima trabalhava. O condenado era passageiro

18:28 | 08/02/2019

O homem acusado de matar o taxista Francisco Daniel Carlos Moreira em 2015 foi condenado a 14 anos de prisão. Caio Henrique da Silva foi condenado no Conselho de Sentença, na última quarta-feira, 6, em sessão da 4ª Vara do Júri.

O homicídio ocorreu dentro do próprio táxi em que a vítima trabalhava e enquanto transportava passageiros de Pacatuba a Fortaleza.

Ao ser baleado com dois tiros na cabeça, Francisco Daniel perdeu o controle do automóvel, bateu em um muro e desceu uma calçada. O crime ocorreu em 11 de março de 2015.

Caio Henrique, que é cadeirante, foi condenado pelos crimes de homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e por ter sido cometido com recurso que dificultou a defesa da vítima) e de porte ilegal de arma de fogo.

Além de Caio, a vítima transportava outros dois passageiros no carro, que o teriam ajudado no crime: Anderson de Lima Amorim, conhecido como Potó, e outro apelidado de Bolinha.

A motivação teria sido o fato de Caio Henrique acreditar que Francisco Daniel trabalhava para o traficante chamado Jefferson Severo, conhecido como "G". Caio devia dinheiro ao traficante e temia que o motorista informasse onde ele morava. Por isso teria decidido matá-lo.

As informações são do Ministério Público do Ceará